• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Geopolítica

Para Câmara dos Deputados intervenção na Síria sem autorização da ONU é grave

Por Redação      |     02/09/2013 às 12:05

Uma intervenção militar na Síria sem a devida autorização do Conselho de Segurança das Nações Unidas é algo extremamente grave, afirmou o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN), da Câmara dos Deputados, Nelson Pellegrino (PT-BA).

Para o deputado, “o uso de armas químicas ou de destruição em massa contra civis é inaceitável e deve ser profundamente investigado. Por outro lado, é igualmente inaceitável que um país decida unilateralmente intervir militarmente na Síria sem o aval do Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

Nelson Pellegrino também elogiou decisão adotada pelos presidentes dos países que integram a União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), que no último sábado aprovaram uma declaração conjunta condenando as ações na Síria sem o consentimento da ONU.

“A postura norte-americana revela desprezo pelos mecanismos multilaterais que deveriam ser fortalecidos justamente para que uma solução pacífica fosse encontrada para a Síria”, explicou.

Para o deputado, a próxima reunião do G-20 que ocorre em São Petesburgo, na Rússia, nos dias 5 e 6, deve ser aproveitada pelos líderes dos países emergentes, incluindo o Brasil, para uma tomada de posição contra a intervenção norte-americana na Síria.

Além disso, ele defendeu que atores externos trabalhem em conjunto com a Liga Árabe para que se encontre uma alternativa à guerra civil que já matou mais de 200 mil pessoas. Pellegrino lembrou ainda que os inspetores da ONU que estiveram na Síria afirmaram não ser possível comprovar o uso de armas químicas contra civis.

, , , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Base Aérea de Santa Cruz abre suas portas em evento festivo

“Portões Abertos 2015” do Museu Aeroespacial

Voando com o Esquadrão Adelphi




©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.