• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Internacional

Forças de segurança equatorianas capturam narcossubmarino

Por   

Foto: Diálogo

Durante uma entrevista coletiva em Cartagena, o ministro do Interior do Equador, Jose Serrano, anunciou a apreensão do submarino em 20 de outubro de 2013. Serrano estava na cidade para a 82ª Assembleia Geral da Interpol.

Serrano estava acompanhado na entrevista pelo ministro da Defesa da Colômbia, Juan Carlos Pinzón. Forças de segurança equatorianas apreenderam o submarino sob a “Operação Progresso”, contou Serrano.

Em duas operações distintas, forças de segurança equatorianas encontraram uma grande quantidade de alcaloide de cocaína em um porto e a Guarda Costeira capturou uma lancha que supostamente transportava uma grande quantidade de cocaína.

Grandes apreensões de drogas no Equador

Em 30 de outubro, agentes da divisão de narcóticos da Procuradoria Geral encontraram 1,5 t de alcalóide de cocaína no interior de um contêiner de carga no porto de Guayquil, divulgou Serrano em seu Twitter.

“Precisamos erradicar este crime que está nos destruindo”, escreveu Serrano. O ministro do Interior elogiou o trabalho dos investigadores que encontraram as drogas. Forças de segurança apreenderam o alcalóide de cocaína, que estava escondido no interior de um contêiner de bananas.

Em setembro de 2013, forças de segurança equatorianas do porto descobriram 30 kg de cocaína escondidos no interior de um contêiner de bananas. O contêiner tinha como destino a Holanda..

Em 28 de outubro, a Guarda Costeira equatoriana capturou uma lancha que supostamente transportava 468 kg de cocaína a cerca de 1.800 km do porto de Esmeraldas. Dois condutores da lancha foram presos, disseram as autoridades. Forças de segurança dos Estados Unidos ajudaram na operação.

Em uma outra operação, em 28 de outubro, a Guarda Costeira do Equador capturou uma lancha que carregava 468 kg de cocaína a cerca de 1.800 km do porto de Esmeraldas. Dois pilotos de barco foram presos, informaram as autoridades. Forças de segurança dos Estados Unidos ajudaram na operação.

Submarino localizado

Durante a operação, forças de segurança equatorianas localizaram o pequeno submarino na costa próxima à cidade de Limones, na província de Esmeraldas. A área fica perto da divisa com a Colômbia.

Policiais da Polícia Nacional do Equador confiscaram o submarino “em uma operação que teve o apoio da Colômbia”, contou Serrano. A polícia equatoriana “recebeu importante cooperação técnica da Polícia Nacional (da Colômbia) e do governo colombiano.”

Ninguém estava a bordo ou próximo ao submarino quando agentes o encontraram, disse, acrescentando que as forças de segurança levaram a embarcação à Base Naval equatoriana. Dois dias depois da captura do submarino, autoridades equatorianas na cidade de Esmeraldas prenderam um homem e uma mulher que são suspeitos de ligação com o submarino, ainda segundo Serrano.

A Polícia Nacional do Equador está investigando se os dois suspeitos ajudaram na operação do submarino e se havia outras pessoas envolvidas, disse Serrano.

“Não há dúvida que este submarino estava pronto para ser usado por cartéis mexicanos e colombianos para transportar cocaína e outras drogas ilegais”, diz Hector Chavez, analista de segurança da Universidade de Guaiaquil.

A importância da cooperação

É provável que os narcotraficantes usaram o submarino para contrabandear drogas, como cocaína, para países ao norte, como Estados Unidos, Guatemala e Costa Rica, de acordo com Pinzon. O submarino tinha espaço suficiente para “mobilizar cerca de 600 kg de drogas por viagem”, afirmou.

Serrano agradeceu à Colômbia pela ajuda na apreensão do submarino e também pelo apoio na caça a vários foragidos que fugiram do Equador nos últimos meses e tentaram se esconder na Colômbia.

“Apreciamos o apoio da Colômbia e da polícia, especialmente para deter criminosos perigosos que escaparam de prisões no Equador”, afirma Serrano.

Em fevereiro de 2013, 19 detentos escaparam de uma penitenciária equatoriana de segurança máxima em Guaiaquil, cerca de 420 km ao sul de Quito.

Cesar Demar Vernaza Quinonez, vulgo “O Empresário”, estava entre os que escaparam em fevereiro. O Empresário é o líder de uma gangue conhecida como “Los Templados”, que colabora com o Cartel de Sinaloa, segundo autoridades. A gangue transporta e protege carregamentos de drogas para o cartel, que é comandado pelo chefão foragido Joaquin “El Chapo” Guzman.

Forças de segurança colombianas recapturaram O Empresário naquele país em abril de 2013. Ele foi extraditado ao Equador, onde enfrenta acusações de narcotráfico.

Cartéis de drogas mexicanos no Equador e na Colômbia

Os cartéis mexicanos de Sinaloa e Los Zetas, ambos grandes organizações criminosas transnacionais, operam no Equador e na Colômbia, disse o vice-ministro de Segurança Interna do Equador, Javier Cordova, em uma entrevista à estação de TV pública ECTV.

A cooperação internacional é crucial na luta contra os cartéis de drogas, ressaltou Cordova. “Se fingimos ou acreditamos que podemos combater com sucesso o narcotráfico sozinhos, estamos enganados”, afirmou.

Autoridades equatorianas capturaram dezenas de integrantes de organizações criminosas transnacionais nos últimos anos:

• Em outubro de 2013, a Polícia Nacional do Equador capturou 10 membros da gangue Los Urabenos, da Colômbia. Alguns dos suspeitos eram equatorianos que trabalhavam para a organização colombiana, segundo autoridades.

• Em agosto de 2013, a polícia equatoriana capturou Eliezer Rodríguez Jorge, vulgo “Palustre”, suposto líder do Los Rastrojos, um grupo do crime organizado colombiano. Autoridades equatorianas o entregaram às autoridades colombianas.

• Em maio de 2013, a Polícia Nacional do Equador prendeu cinco equatorianos e quatro mexicanos suspeitos de pertencer a uma rede de narcotráfico internacional. A polícia confiscou ainda 452 kg de cocaína e US$ 276.567 (R$ 605.681) em espécie. As prisões e os confiscos fizeram parte da “Operação Aluvión”.

• Em abril de 2013, a Polícia Nacional do Equador alertou a Guarda Costeira do país que um iate em águas equatorianas estava carregando uma grande quantidade de cocaína. Um barco da Guarda Costeira perseguiu a embarcação, que foi batizada de “Cebola Verde”. O iate fugiu para águas internacionais, mas a Marinha equatoriana alertou a Guarda Costeira dos EUA, que capturou o barco em águas internacionais próximo a Cabo San Lucas, no México. Ao perceber que seriam capturados, os integrantes da tripulação queimaram cerca de quatro toneladas de cocaína que estavam a bordo, relataram as autoridades.

• Em junho de 2012, autoridades equatorianas encontraram uma pequena aeronave com registro mexicano abandonada em um hangar em San Pablo, na província costeira de Santa Elena. Segundo as autoridades, é provável que o avião era usado para contrabandear drogas.

Também em junho de 2012, forças de segurança equatorianas apreenderam um submarino que estava em construção, uma pequena aeronave, uma lancha e uma tonelada de cocaína. Sem dúvida, a aeronave e a lancha eram utilizadas pelos traficantes de drogas e o submarino seria utilizado para o tráfico de drogas se tivesse sido concluído, disse Ricardo Camacho Zeas, um analista de segurança equatoriano.

A Guarda Costeira equatoriana descobriu o submarino escondido debaixo de lama e arbustos em uma ilhota entre as ilhas Verdes e Escalante, no Golfo de Guaiaquil, disseram autoridades. O submarino tinha 15 m de comprimento e 4 m de largura, com capacidade de transportar até 15 t de drogas. O submarino estava concluído em 70%, informaram autoridades.

A Guarda Costeira interceptou a lancha a 12 milhas da costa de Canoa, na província de Manabi. A embarcação era motorizada com três motores de popa de 350 cavalos cada um. A lancha partiu de Chiapas em 07 de junho de 2012 e tinha modernos equipamentos de comunicação, um transmissor de alta frequência e alimentos suficientes para vários dias. As forças de segurança equatorianas prenderam três mexicanos que estavam a bordo da lancha.

Forças de segurança equatorianas encontraram a tonelada de cocaína entre as rochas da Praia San Clemente, a poucas milhas do local onde a lancha foi capturada. Provavelmente, os homens da lancha estavam a caminho para pegar a cocaína, disseram autoridades.

A pequena aeronave foi encontrada abandonada no interior de um hangar em San Pablo. A aeronave era registrada no México.

• Em maio de 2013, um pequeno avião do México caiu na província de Manabi. Autoridades equatorianas encontraram US$ 1,4 milhão (R$ 3 milhões) em dinheiro a bordo. O piloto e o copiloto, que morreram na queda, eram de Sinaloa, no México, um reduto de El Chapo Guzman.

Central do narcotráfico

Grupos do crime organizado não produzem drogas no Equador, mas movimentam drogas produzidas em outras nações, como Colômbia e Brasil, através do país, segundo Chavez, o analista de segurança.

“O Equador não é conhecido por ser um produtor de drogas ilícitas, mas, por causa de sua localização geográfica, gangues de droga internacionais lutam pelo controle do território no país e estabelecem operações de narcotráfico”, explica Chavez.

Não é surpresa que o Cartel de Sinaloa esteja operando no Equador, afirma Chavez. “Essa é uma das características de El Chapo Guzman. Ele forma alianças com gangues em outros países”, enfatiza o analista.

, ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Temporada hípica da EsEqEx

Dia do Exército – 1ª DE

Campeonato de salto do Exército Brasileiro

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.