• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Internacional

Exército russo será equipado com minas anti-helicóptero

Por Anderson Gabino      |     21/05/2014 às 15:16

9ossii)_kollaj

Em futuro próximo, o exército russo irá receber o equipamento mais recente criado pleos cientistas e especialistas em armamentos russos, as Minas Anti-Helicóptero. Esta informação foi transmitida a  imprensa pelo chefe dos serviços de engenharia da Força Aérea Russa, coronel Alexei Khazov.

“As minas anti-helicóptero estão em testes desde o  final do ano de 2013 e irão agora equipar as forças armadas. Uma mina atinge um helicóptero ou outra aeronave até uma altitude de 200 m, criando um núcleo de explosão segundo o princípio da carga reativa”, disse Khazov.

Antes, os pilotos de helicóptero se escondiam dos radares voando abaixo dos cem metros. Agora, com as mina anti-helicóptero irá obrigá-los a aumentar a altitude, onde serão detetados pelos radares antiaéreos.

Portanto, agora o piloto do helicóptero cai numa espécie de armadilha, diz o diretor do polígono de testes de sistemas aéreos Vladimir Niyazov, “A mina funciona como uma arma psicológica, ela faz o piloto aumentar a altitude para os 150 metros, onde o aparelho será  detectado e podendo ser facilmente atingido por qualquer míssil antiaéreo”.

A criação desse dispositivo, que provavelmente irá alterar toda a estratégia de voo dos helicópteros, demorou mais de três anos para ser concluido, os primeiros modelos das minas eram semelhantes a aparelhos espaciais com apoios retráteis e sensores rotativos.

MAH

Contudo, mais tarde os cientistas decidiram eliminar uma série de funções suplementares e simplificaram o dispositivo ao máximo, por fora, ela é parecida com uma mina redonda antitanque vulgar.

A nova mina reconhece o som do motor do helicóptero em voo a uma distância superior a 400 metros usando um sensor acústico de elevada sensibilidade, os sensores de infravermelhos determinam a posição exata e a distância do alvo.

Quando o helicóptero entra na área de alcance, a mina explode. Os projéteis são disparados por 12 cargas de pólvora à velocidade de 2,5 quilômetros por segundo e podem perfurar blindagem de um centímetro de espessura. Nenhum helicóptero, dos atualmente existentes, é capaz de resistir a um ataque desses.

Foto3MinaantiH.

Já os outros tipos de veículos e os efetivos humanos podem não recear essa arma terrível, o dispositivo não reage a falsos sinais, relatou o vice-diretor do polígono de testes de sistemas aéreos Serguei Mansurov:

Quedas de folhas, ramos, pedras, chuva ou neve, todas essas interferências que são visíveis ao sensor de localização de alvo, são eliminadas pela mina., a mina também não reage a uma pessoa ou a um animal, que por exemplo,  passem na proximidade.

Se o helicóptero não tiver entrado na zona de ataque, os sensores de infravermelhos se desligam e a mina entra em modo de espera, ou seja, fica em stand by. Quando a corrente da fonte de alimentação se torna inferior ao mínimo necessário para o seu funcionamento, a mina se autodestrói para não ser capturada pelo inimigo.

O peso e dimensões desta nova munição ainda não foram divulgados. A nova mina será colocada por meios de minagem remota, inclusive a partir de helicópteros. Os desenvolvedores russos asseguram que em todo o mundo ainda não existem análogos desta nova arma russa.

A eficácia do novo dispositivo já foi avaliada pelos militares russos, tendo os testes técnicos demonstrado que essa mina pode travar qualquer incursão por helicópteros a baixa altitude.

, ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Base Aérea de Santa Cruz abre suas portas em evento festivo

“Portões Abertos 2015” do Museu Aeroespacial

Voando com o Esquadrão Adelphi




©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.