• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Internacional

Navios russos são destaque em exposição na Euronaval 2014

Por Anderson Gabino      |     09/11/2014 às 10:08

000_Par8014245_469

Na Exposição Internacional de Tecnologia e Armamento Militar Naval Euronaval 2014, que ocorreu entre 27 a 31 de outubro em Paris, a Rosoboronexport (empresa estatal russa responsável pela exportação de equipamento militar) expôs pela primeira vez no exterior navios de superfície e submarinos que não deixam nada a desejar aos concorrentes ocidentais.  

A exposição do Escritório Central de Design Naval Almaz tornou-se uma verdadeira sensação. “Realmente, aquilo que estamos fazendo hoje não possui análogos no mundo. Havia  muitos navios de alta velocidade com pequeno deslocamento. Mas é preciso destacar que quanto maior a velocidade da embarcação, mais complexa é a sua manutenção, incluindo a manutenção dos sistemas de combate”, disse o diretor e designer geral da empresa, Aleksandr Shliakhtenko.

Em altas velocidades surge o efeito “tábua de lavar roupa” –é como se o navio estivesse se locomovendo sobre rochas, e aguentar isso durante um tempo prolongado é difícil tanto para as pessoas quanto para os mecanismos.

Rosoboronexport_booth_stand_at_IDEF_2013_defense_exhibition_in_Turkey_Istanbul_640_001

“Nós criamos um fundo mecanizado utilizando tecnologias da aviação. A nossa lancha de patrulha interceptora Sobol tem hoje uma velocidade de 52 nós, não teme as ondas e está equipada com poderoso armamento. Em grande velocidade e na presença de ondas, ela se move como um carro na autoestrada. O seu raio de ação é de 700 milhas e a autonomia é de cinco dias. Ela é o nosso orgulho. Não existe nada parecido nem no Ocidente, nem no Oriente”, completou Shliakhtenko.

A exposição Euronaval-2014 confirma isso. A Marinha e o Serviço Federal de Segurança encomendam grandes quantidades dessas lanchas para a Guarda Costeira.  Elas também possuem grande potencial de exportação.

“Outo motivo de orgulho para nós é a corveta Tigre, do projeto 20382. Ela reconhecidamente ocupa o terceiro lugar no ranking das melhores corvetas do século 21. O projeto Tigre, sem qualquer dúvida, é um navio inovador. Ele tem um poderoso e equilibrado armamento, condições suficientemente confortáveis de acomodação da tripulação e excelente navegabilidade.”

Segundo Shliakhtenko, a era da construção de uma nova geração de navios teve início na Rússia a partir desse projeto. “O mais importante é que, em primeiro lugar, a Marinha da Rússia foi equipada com as melhores corvetas do mundo. Quatro navios já passaram a integrar a frota do Báltico. Agora estamos oferecendo as corvetas Tigres para exportação. O interesse em relação a elas está crescendo no mundo. Esses navios levam a bordo 8 mísseis de cruzeiro Uran e 8 mísseis de cruzeiro Kalibr ou Iakhont.”

Rosoboronexport_presents_its_new_naval_products_640_02

A defesa contra ataques aéreos é composta pelos sistemas de mísseis e artilharia antiaérea Kashtan e pelos lança-foguetes Palma, Igla e Rif. O armamento de artilharia é constituído por um canhão de disparo rápido de 100 mm e por armas automáticas AK-630M de seis de canos 30 mm.  As corvetas também estão equipadas com sistemas de torpedos e de defesa anti-torpedos.

Existe até um lançador de foguetes contra sabotagem DP-64. O navio pode transportar a bordo um helicóptero antissubmarino Ka-28 ou um helicóptero de alerta precoce Ka-31.

Submarinos

Os submarinos do Escritório de Design Malaquita de São Petersburgo constituíram outra sensação do salão Euronaval-2014. Existem apenas dois deles, mas desde o primeiro dia da exposição eles estiveram no centro das atenções.

Os pequenos submarinos que levavam o nome de Piranha passaram a integrar a frota do Báltico no final da década de 1980 e imediatamente se tornaram uma dor de cabeça para as forças navais da OTAN. No entanto, na década seguinte, eles foram excluídos da frota e, posteriormente, completamente descartados.

Agora, vários tipos de Piranhas foram projetados simultaneamente no Escritório de Design Malaquite em um novo patamar tecnológico. São submarinos de sabotagem destinados às forças especiais da Marinha e submarinos de combate completos, denominados de Piranhas-T. Eles foram projetados para navegar em locais rasos e são automatizados ao máximo. A tripulação do submarino Piranha é de três pessoas e a do Piranha-T, de cinco.

Rosoboronexport_presents_its_new_naval_products_640_04

De acordo com o designer-chefe, Igor Karavaev, o Piranha T pode ser controlado por apenas uma pessoa, tão alto é o seu nível de automação. Além disso, esses submarinos apresentam um nível de ruído muito baixo.

O armamento do Piranha-T consiste de dois tubos de torpedos de 533 mm, dentro dos quais também podem ser dispostos mísseis de cruzeiro. Também há lançadores de popa para torpedos de calibre 324 mm –há seis unidades deles. Além disso, o submarino transporta oito minas.

De modo geral, o salão militar naval Euronaval-2014 foi mais modesto do que a exposição realizada em 2012. Mas, ainda assim, havia novidades interessantes. Principalmente projetos conceituais para os navios de um futuro próximo, bem como numerosos veículos subaquáticos automatizados não tripulados. Manteve-se a tendência de projetar navios com uma superfície reflexiva mínima.

, ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Base Aérea de Santa Cruz abre suas portas em evento festivo

“Portões Abertos 2015” do Museu Aeroespacial

Voando com o Esquadrão Adelphi




©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.