• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Internacional

USAF irá desativar o 65º Esquadrão Agressor (65th Aggressor Squadron)

Por   

F 15 65th SA

Quando os caças decolarem da Base Aérea de Nellis para o próximo exercício de combate aéreo Red Flag, haverá menos candidatos a “bandidos” para o combate. Os Pilotos que estiverem voando suas 10 primeiros missões de combate simulados vão enfrentar uma força adversária com menos sparrings, um sinal dos tempos, quando os militares reduzem seus aviões, pessoal e operações de combate dos EUA.

estas são as palavras do tenente-coronel Greg “Papa” Wintill, comandante do 65th Aggressor Squadron – um dos dois esquadrões em Nellis que simulam inimigos para o treinamento Red Flag. Ele confirmou na semana passada que seu esquadrão de 19 caças F-15 C Eagles, camuflados com as cores do inimigo, será desativado em setembro de 2014, a fim de atender às restrições de orçamento do Pentágono antes do novo ano fiscal que começa em 1º de outubro.

65 AS new paint 1

“Esta desativação, enquanto nós, como um esquadrão, não queremos que isso aconteça, mas é o que a Força Aérea precisa fazer para atingir as metas financeiras que foram impostas”, disse Wintill. Não está claro se haverá economia com a desativação do esquadrão uma vez que o orçamento anual do esquadrão é de cerca de US$ 35 milhões, incluindo o financiamento de uma equipe de 150 pilotos que mantêm os caças ativos, alguns já até deixaram a unidade.

Wintill disse que seis F-15, mais um de reposição serão transferidos temporariamente para o 64th Aggressor Squadron em Nellis, que consiste principalmente de caças F-16 Falcon. Não haverá corte dos 20 caças F-16 que compõem o 64th para compensar a adição dos F-15, disse um porta-voz da base.

65THAGRSLR101

Uma dúzia de caças F-15C do 65th serão transferidos para a Guarda Aérea Nacional. Os seis que permanecerem ficaram operacionais até março e então serão enviados para o cemitério da Força Aérea perto de Tucson, no Arizona. “Eu adoraria manter meus aviões aqui, mas isso não sou eu que decido”, disse Wintill. “Eu amo o F-15, mas ela está ficando velho. Voamos um modelo fabricado em 1978.”

“Este é mais um efeito dos cortes orçamentais”, disse Wintill. Nós temos que equilibrar as contas, e acreditamos que vamos ter uma força aérea menor no futuro, especialmente por conta dos efeitos dos cortes de orçamentos. Então, vamos ver ainda mais números de aviões serem reduzidos, quer seja aqui em Nellis ou em outro lugar.

65 AS new paint 2

O comandante ressaltou a importância internacional de ter um grupo de táticas adversários para EUA e os pilotos aliados para treinar contra. O 65th Aggressor Squadron atuou anteriormente em Nellis, de 1983 até 1989, o esquadrão voou durante uma breve passagem por Nellis entre 1969 a 1970, quando era conhecido como 65th Fighter Weapons Squadron.

O advento do papel do esquadrão agressor surgiu em 1972 marcando o início de um esforço concentrado da Força Aérea para inverter a perda de pilotos no Vietnã, quase de 1 para 1. Na Guerra da Coréia, os pilotos norte-americanos faziam 10 aviões inimigos para cada avião norte-americano derrubado.

080605-F-6911G-121

Por 18 anos, os agressores contabilizaram mais de 250.000 missões em mais de 1.000 empregos de treinamento em instalações norte-americanas nos Estados Unidos e no exterior.

FONTE: Las Vegas Review Journal

, , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Temporada hípica da EsEqEx

Dia do Exército – 1ª DE

Campeonato de salto do Exército Brasileiro

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.