• Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • RSS
Ministério da Defesa

Iraque mostra interesse na compra de equipamentos militares Brasileiros

Por   

jafari

Um dos maiores clientes de armas brasileiras entre as décadas de 60 e 80, o Iraque manifestou interesse nesta ultima terça-feira em retomar a compra de produtos de defesa do Brasil, informou o Ministério da Defesa. Essa notícia foi dada pelo ministro de Relações Exteriores do Iraque Ibrahim al Jaafari, durante a visita que fez ao Brasil e reuniu-se com o chanceler Mauro Vieira e com o ministro da Defesa Jaques Wagner.

O ministro iraquiano afirmou “o interesse de seu país em voltar a comprar os produtos de defesa brasileiros já que durante os anos 80, o Iraque foi um dos grandes parceiros comerciais do Brasil”, e durante muitos anos nos abasteceu de produtos, como os sistemas Astros II, Blindados, aeronaves de treinamento Tucano e tantos outros tipos de armas convencionais, mas o Brasil suspendeu as vendas em 1990 devido ao embargo internacional imposto a esse país pela invasão ao Kuwait.

Jaques-Wagner.Face

O Ministério da Defesa soltou uma nota, onde diz que ” o aquecido mercado brasileiro da indústria de defesa movimenta cerca de US$ 6,5 bilhões ao ano sendo que US$ 3 bilhões só em exportações, gerando 30.000 empregos diretos e 100 mil indiretos”. As empresas Brasileiras de sistemas de misseis, aviões e carros de combate tinham como principal mercado regional o Oriente Médio para onde se destinavam quase 50% de sua produção na década de 70. Seus principais cliente era o Iraque que concentrava 40% das compras, seguido pela Líbia com 30%.

Neste encontro com as autoridades brasileiras, o ministro Ibrahim al Jaafari disse que o Iraque precisa voltar a se equipar para ter condições de combater a ameaça terrorista do grupo Estado Islâmico, que tem dominado territórios no Iraque como na Síria. Ele salientou ainda, que o principal motivo da visita foi de solicitar apoio do Brasil nos esforços do governo iraquiano pela estabilização do país e ao combate do terrorismo.

Os jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) vêm exibindo uma variedade impressionante de armas. Muitas foram capturadas do próprio exército iraquiano.

“Contra o terrorismo não se pode ter uma guerra convencional, temos buscado ajuda em países amigos e democráticos que lutam para defender aqueles que estão sofrendo com esta pratica do terror”, afirmou Ibrahim al Jaafari, citado o comunicado do Ministério da Defesa, ao defender acordos de cooperação com o Brasil.

Por sua vez o Ministro da Defesa Jaques Wagner, enfatizou que o Governo Brasileiro tem uma longa tradição de paz e de solidariedade e que por isso, “externando nossa total solidariedade aos Iraquianos perante as atrocidades que são reveladas e feitas no país pelo Estado Islâmico”.

Além do ministro Jaques Wagner e do chanceler iraquiano Ibrahim Al-Jaafari, participaram da audiência o chefe de Assuntos Estratégicos do Ministério da Defesa (MD), general Gerson Menandro, o chefe do departamento de Catalogação do MD, almirante Antônio Guerreiro, o diretor do departamento de oriente Médio do Itamaraty, embaixador Carlos Ceglia, o embaixador da República do Iraque no Brasil, Adel Al Kurdi, entre outras autoridades brasileiras e iraquianas.

Fonte | Fotos: ministeriodadefesa

, , , , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Formatura do Treinamento Específico de Auxiliar de Precursor

Dia Internacional do Peacekeeper no CCOPAB

Temporada hípica da EsEqEx