RSS
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • RSS

Mercado & Indústria

No comando de uma gigante, presidente da Embraer analisa o desempenho da empresa

Por   

FRED-1-de-15

Com o crescimento nas vendas e vislumbrando novos projetos, a Embraer vence desafios e investe no seu futuro, e o Diretor-presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado comenta os principais projetos da companhia e o sucesso, conseguido passo a passo em entrevista a OVALE.

Após ter enfrentado grandes dificuldades entre 2009 e 2011, em razão da retração do mercado da aviação mundial, abalado pela crise da economia global, a Embraer, sediada em São José dos Campos, atravessa uma fase promissora, com a recuperação de vendas, especialmente no mercado europeu e no norte-americano, que concentra a maioria dos pedidos firmes e ordens de opções de compra, conforme avalia o diretor-presidente da companhia, Frederico Fleury Curado.

Embraer-fabrica-20130419103300

O executivo pontua que, aos 45 anos, a Embraer atravessa uma dos momentos mais intensos da sua história. A empresa acumula novos projetos em todas as suas unidades de negócio: a Embraer Aviação Comercial, a Embraer Defesa e Segurança e a Embraer Aviação Executiva. Ele cita como projetos importantes o cargueiro militar KC-390, sob encomendada da FAB. Esse jato é o maior já projetado pela companhia, explicou Curado. Destacou ainda o Sisfron (Sistema de Monitoramento de Fronteiras), cuja primeira etapa desse ambicioso programa do Exército, está sendo implantado pela Embraer Defesa & Segurança.

Rollout do KC 390.2

Na aviação comercial, Curado destaca a nova família de jatos comerciais os E-Jets E2, que devem entrar em operação gradativamente a partir de 2018. Os novos jatos acumulam 590 ordens entre compras firmes e opcionais.

O executivo também destaca a entrada em operação do novo modelo do jato executivo, o Legacy 500, que já recebeu certificação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para voar em território nacional. Finalmente, Curado pontua que a empresa tem feito esforços para assegurar que não ocorra descontinuidade de produção, com sucesso. Leiam a entrevista

Linha-de-produção-Legacy-500-foto-Embraer

O senhor menciona que a empresa vive um dos momentos mais intensos, com projetos em andamento em todas unidades de negócio. As dificuldades vivenciadas com a crise mundial da aviação registrada em 2009 foram superadas?

De fato estamos investindo recursos significativos em importantes projetos para o futuro da companhia, como a nova geração da família E-Jets E2(Embraer 175/190/195), os jatos executivos Legacy 500 e 450, e também o cargueiro militar KC-390. Temos, ainda, diversos outros programas de menor escala, mas que igualmente requerem excelência tecnológica, recursos financeiros e foco gerencial.

O mundo claramente ainda vive as consequências da crise financeira internacional deflagrada em 2009. O mais importante, entretanto, é que a Embraer tem conseguido se desenvolver e se aperfeiçoar nesse cenário adverso, trabalhando forte para elevar sua produtividade e competitividade, servir bem seus clientes e ter saúde econômico-financeira para continuar investindo no futuro.

KC-390-visita-do-comandante-da-Força-Aérea-do-Chile-à-Embraer-foto-2-FACh-580x322

As vendas efetivadas este ano demonstram recuperação do mercado aeronáutico mundial?

O mercado de aviação comercial vive um bom momento, embora mais concentrado nos aviões de grande porte, maiores dos que a Embraer fabrica. Já o mercado de aviação executiva ainda não recuperou os níveis pré-crise (2008), ao passo que o mercado de Defesa e Segurança tem apresentado algumas oportunidades. Nossas vendas têm permitido que a Empresa mantenha-se estável, com pequeno crescimento.

Até a entrada em operação da nova família de E-Jets, a carteira de encomendas firmes dos jatos comerciais da família atual sustenta a empresa?

Esse é um de nossos desafios. À medida que nos aproximamos da entrada em serviço dos novos modelos, fica naturalmente mais difícil vender os modelos atuais.

E-jet-na-pista-foto-Embraer

Temos empregado enorme esforço e foco para assegurar que não haja descontinuidade de produção, até agora com sucesso. O ano de 2014 deve ser similar ao de 2013 e estamos trabalhando para repetir essa estabilidade em 2015. É uma batalha contínua, que temos que vencer passo a passo.

A Embraer é uma das maiores empregadoras da cidade. Com os novos projetos, existe previsão de expansão de vagas em São José?

Nossa maior preocupação, conforme discutido na questão anterior, é preservar os níveis de produção e investimentos da companhia. Só podemos pensar em expansão se houver uma significativa reação do mercado mundial e das vendas, o que hoje não é previsível.

Das unidades de negócio, a de Defesa cresceu bastante, principalmente em receita.

O negócio de Defesa e Segurança deve representar cerca de 20% do faturamento da Embraer neste ano, o que é significativo. Nossa expansão nesse mercado demonstra que a estratégia de diversificação da companhia vem dando certo.

AF-1M-580x384

Atualmente, a Embraer Defesa e Segurança está envolvida em programas de grande complexidade, como o desenvolvimento do jato de transporte militar tático KC-390, a implantação do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, o Sisfron, a modernização dos caças AF-1 para a Marinha e o desenvolvimento do satélite geoestacionário, dentre outros programas.

frederico-fleury-curado-size-598

PERFIL

NATURALIDADE

O diretor-presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado é natural do Rio de Janeiro

NASCIMENTO

Nasceu em 1961

FORMAÇÃO

Formado em Engenharia Mecânica-Aeronáutica pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica)

PÓS-GRADUAÇÃO

Pós-graduado em Comércio Exterior pela FGV e MBA Executivo pela USP

CARREIRA

Iniciou carreira como Engenheiro de Produção na Pratt&Whitney Canadá, em1984

NA EMBRAER

Entre 1985 e 1994, atuou em diversas posições gerenciais na Embraer e, desde 1995, passou a integrar a Diretoria da Empresa, em seguida à sua privatização

PRESIDÊNCIA

Foi vice-presidente Executivo para o Mercado de Aviação Comercial de 1988 até assumir a presidência, em 2007

FRASES

“O mercado de aviação comercial vive um bom momento, embora mais concentrado nos aviões de grande porte”

“O mercado de aviação executiva ainda não recuperou os níveis pré-crise de 2008”

“O ano de 2014 deve ser similar ao de 2013 e estamos trabalhando para repetir essa estabilidade em 2015”

“Nossa maior preocupação é preservar os níveis de produção e investimentos da companhia”

“O negócio de Defesa e Segurança deve representar cerca de 20% do faturamento da Embraer neste ano, o que é significativo”

“Nossa expansão nesse mercado demonstra que a estratégia de diversificação da companhia vem dando certo”

 FREDERICO FLEURY CURADO – DIRETOR PRESIDENTE DA EMBRAER

FONTE : OVALE

Fonte | Fotos: operacional

, , , , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Dia Internacional do Peacekeeper no CCOPAB

Temporada hípica da EsEqEx

Dia do Exército – 1ª DE

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.