RSS
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • RSS

Exército

Companhia de Engenharia Pára-quedista celebra seu 65º aniversário

Por   

20160226_101838 copy

No último dia 26 de fevereiro foi realizada a solenidade alusiva ao 65º aniversário da Companhia de Engenharia de Combate Pára-quedista. A cerimônia militar foi presidida pelo Gen Div Ubiratan de Salles, da Diretoria de Ciência e Tecnologia, e contou com a presença com comandante da Brigada de Infantaria Pára-quedista Gen Bda William Georges Felippe Abrahão.

A história do berço dos engenheiros pára-quedistas no Brasil teve inicio a sessenta e quatro anos atrás. Sua origem é na Seção de Engenharia da Escola de Pára-quedistas do Exército Brasileiro, com sede nas instalações da Colina Longa. Diante do crescimento da atividade militar aeoroterrestre, fez-se necessário um aumento na tropa de engenharia responsável pelo apoio técnico/combatente da arma à Escola. Assim, em 23 de fevereiro de 1951, foi criada a Companhia de Engenharia Aeroterrestre, nome histórico que ostenta até hoje, tendo como seu primeiro comandante o então Capitão de Engenharia Hélios Alberto Moore. Já em 1971, a Companhia de Engenharia Aeroterrestre herdou do Esquadrão Tenente Amaro as suas atuais instalações, passando a ser denominado de 1ª Cia E Cmb Pqdt. Observando os objetivos estratégicos do Exército e a Estratégia Nacional de Defesa, a arma de Engenharia, vem nos últimos anos atuando de forma pró-ativa como um agente de transformação da Força Terrestre. A 1ª Cia E Cmb Pqdt vem sendo utilizada, neste contexto, em proveito da Brigada de Infantaria Pára-quedista nas principais missões em que esta esteve envolvida.

A história da engenharia militar brasileira é muito intensa e se apresenta em vários episódios da trans-formação de nossa país. As origens da arma se dão na Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho, mais precisamente no Real Corpo de Engenheiros do Exército Brasileiro. Desde a construção das primeiras melhorias na travessia para a Baixada Santista, que facilitavam o comércio de açúcar, passando pela construção da Estrada do Chaco, que possibilitou a Duque de Caxias uma de suas maiores vitórias na Guerra do Paraguai, a Engenharia Militar brasileira sempre se fez presente. Na Segunda Guerra Mundial, a 1ª Companhia do 9º BE fez parte do “1st Combat Team”, que atuou em Camaiore e no Vale do Serchio, sendo a primeira fração brasileira a entrar em combate.

Já participou de um badernaço Pará-quedista? Assista e vibre com a emoção de um combatente pára-quedista ao retornar ao ninho das águias.

 

Fonte | Fotos: operacional

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Formatura do Treinamento Específico de Auxiliar de Precursor

Dia Internacional do Peacekeeper no CCOPAB

Temporada hípica da EsEqEx

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.