News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Saturday, 13 de July de 2024
Home » Geopolítica » Pyongyang adverte: Tiros contra navio norte-coreano foram uma grave provocação

Pyongyang adverte: Tiros contra navio norte-coreano foram uma grave provocação

Diversos
Por

Cleared for public release by LCDR Thomas Cotton, OIC, COMCAMGRUPAC, (619)571-7130, thomas.h.cotton@navy.mil

A Coreia do Norte classificou como uma “grave provocação” os tiros disparados contra um navio de sua frota pela Marinha da Coreia do Sul. A embarcação norte-coreana teria entrado em águas reivindicadas por Seul no Mar Amarelo durante um exercício de rotina. Pyongyang destacou que o navio se retirou do local após os cinco disparos sul-coreanos. No domingo (25), a Marinha da Coreia do Sul comunicou o incidente afirmando que foram tiros de advertência no dia anterior. No mesmo dia, aconteceu um encontro de famílias das duas Coreias separadas pela guerra entre os países.

O governo norte-coreano, através da agência estatal KCNA, destacou que ações como esta não contribuem para a melhoria das relações entre Seul e Pyongyang e que haverá somente um desastre enquanto os fomentadores da guerra forem imprudentes. A Guerra da Coreia, entre 1950 e 1953, tecnicamente não terminou, uma vez que não foi assinado um tratado de paz. Pyongyang vem cobrando a celebração de um documento para que o “conflito” seja resolvido. O Mar Amarelo é uma das regiões cujos limites de cada país são contestados. A Coreia do Norte não reconhece a fronteira defendida internacionalmente.

FONTE: Sputniknews

Fonte | Fotos: operacional