News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Thursday, 20 de June de 2024
Home » Internacional » Militar dos EUA é libertado pelo Talibã após cinco anos de cativeiro

Militar dos EUA é libertado pelo Talibã após cinco anos de cativeiro

Diversos
Por

Sgt Bowe Bergdahl

Foi libertado neste sábado no Afeganistão o sargento americano Bowe Bergdahl, único prisioneiro das tropas de coalizão que estava nas mãos do grupo armado Talibã, ele havia sido sequestrado no dia 30 de junho de 2009.

Segundo a Casa Branca, Bergdahl deixou o cativeiro após uma negociação entre o governo americano e os insurgentes, que foi mediada pelo governo do Qatar. Em troca, os EUA prometeram libertar cinco prisioneiros que estavam na base de Guantánamo, em Cuba.

A operação de entrega do militar foi feita no leste afegão, perto da fronteira com o Paquistão, em uma operação em que participaram dezenas de soldados das forças especiais americanas. O militar foi encontrado em boas condições de saúde e levado para fazer exames em uma base militar no Afeganistão.

De acordo com a imprensa americana, os presos do Talibã que deixaram Guantánamo foram levados ao Qatar, onde ficarão sob a custódia das autoridades locais e não poderão deixar o emirado por um ano.

Em nota, o presidente Barack Obama se disse honrado em poder avisar que o sargento poderá voltar vivo ao país. “Tenho a honra de ligar a seus pais para expressar nossa alegria, conscientes de sua coragem e de seu sacrifício nessa provação”.

O Sgt Bowe Bergdahl foi capturado pelo Talibã enquanto trabalhava sozinho em uma área tribal na província de Paktika, há quase cinco anos. A última prova de que ele estava vivo foi apresentada em janeiro, quando um vídeo foi obtido por militares americanos. Segundo o Pentágono, ele chorou muito quando foi encontrado pelos colegas.

Fonte | Fotos: vozdarussia