News

Escoteiro do Rio de Janeiro é condecorado com a Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Sunday, 03 de March de 2024
Home » Ministério da Defesa » Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional reserva dinheiro para sistema de defesa e rede de postos no exterior

Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional reserva dinheiro para sistema de defesa e rede de postos no exterior

Ministério da Defesa
Por

Comissão Relações Exteriores e Defesa

Projetos definidos como prioritários para os Ministérios da Defesa e das Relações Exteriores vão receber R$ 819 milhões, conforme emendas ao Orçamento da União para o próximo ano aprovadas nesta terça-feira (16) pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE). A maior parte dos recursos — R$ 669 milhões — está destinada ao Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron).

O relator das emendas, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), explicou que o Sisfron, que começou a ser implantado em 2012, vai permitir uma vigilância eficiente das fronteiras terrestres. Assim, acrescentou o senador, será possível um combate mais efetivo a crimes como tráfico de drogas, armas e pessoas. O Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras é de responsabilidade do Comando do Exército.

Também para o Ministério da Defesa, a CRE separou R$ 100 milhões dos recursos orçamentários para a produção de 50 helicópteros de médio porte. O projeto prevê a entrega de 16 aeronaves para a Força Aérea, 16 para a Marinha, 16 para o Exército e 2 para a Presidência da República.

Postos no exterior

O restante do dinheiro, ou R$ 50 milhões, será usado no financiamento do Plano Diretor de Tecnologia da Informação, que vai conectar o Ministério das Relações Exteriores a 227 postos em 150 países, por meio de um canal exclusivo de sistema de comunicação. Ricardo Ferraço lembrou que o ministério foi alvo de ataque de hackers neste ano, com acesso a documentos confidenciais.

— A implementação de uma política de segurança e defesa cibernética exige mudanças profundas na tecnologia e nos processos utilizados. As medidas para fazer frente a esse desafio são imprescindíveis e essenciais tendo em vista as crescentes ameaças de ataques desse tipo — disse Ferraço.

FONTE : Senado Federal

Fonte | Fotos: operacional