News

SAFRAN ESTÁ NA FIDAE 2024 COM SEUS PRODUTOS DE PONTA

Embraer e FAB iniciam estudos para plataformas de missões especiais

Pavilhão Brasil, coordenado pela ABIMDE, é inaugurado por autoridades na FIDAE 2024

Forças Armadas e agências federais destroem helicóptero e detêm piloto em operação contra garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

IACIT fortalece presença entre principais marcas globais na FIDAE 2024

Operação Catrimani II: Forças Armadas empregam 800 militares em nova fase de combate ao garimpo na TI Yanomami

Marinha e Polícia Federal apreendem carga de cigarros contrabandeados no litoral do Pará

Friday, 12 de April de 2024
Home » Ministério da Defesa » Militares brasileiros atuam na liberação de área sob controle de gangues no Haiti

Militares brasileiros atuam na liberação de área sob controle de gangues no Haiti

Ministério da Defesa
Por

jaborandi_inter

Sob comando do general José Luis Jaborandy Júnior, force commander da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah), militares do Batalhão Brasileiro (Brabat) atuaram na operação para ocupar a região de Grand Ravine, próximo à capital Porto Príncipe, onde há grande incidência de gangues.

Na operação, levada a cabo entre os dias 24 e 25 de julho, os homens do Brabat foram convocados emergencialmente para apoiar as tropas do Sri Lanka (Sribat), responsável pela região de Grand Ravine, e as guarnições da Polícia Nacional Haitiana e a Polícia das Nações Unidas (UNPol).

As forças de paz empreenderam a operação em Grand Ravine para aproveitar-se da desmobilização temporária das facções rivais que atuam no local, depois que uma das lideranças das gangues locais foi assassinada por um membro de seu próprio grupo.

O primeiro escalão do Brabat foi destacado para acompanhar as forças policiais, o que permitiu que as forças do Sri Lanka pudessem montar check-points ao longo das principais rotas, assegurando sua presença permanente doravante.

haiti_interna

A operação

O Brabat atuou com a 4ª Companhia de Fuzileiros de Força de Paz para avançar pelos dois corredores de Grand Ravine, após o Esquadrão de Fuzileiros de Força de Paz ter ocupado posição durante a madrugada de 25 de julho nas alturas ao sul da região.

A partir das 06h30, o avanço foi iniciado pelas duas colunas, no interior da localidade: casa a casa, beco a beco, controlado por estritas medidas de coordenação de movimento e de restrição de fogo.

As forças policiais puderam transitar em segurança pela área e, ao final, não houve confrontação de marginais com as tropas que participaram da ocupação.

Os aspectos de maior destaque no Batalhão Brasileiro foram o planejamento do Estado-Maior, a possibilidade de planejamento conjunto com os setores encarregados da Minustah e a atuação das forças em primeiro escalão, permitindo um elevado grau de êxito.

Fonte | Fotos: ministeriodadefesa