News

SAFRAN ESTÁ NA FIDAE 2024 COM SEUS PRODUTOS DE PONTA

Embraer e FAB iniciam estudos para plataformas de missões especiais

Pavilhão Brasil, coordenado pela ABIMDE, é inaugurado por autoridades na FIDAE 2024

Forças Armadas e agências federais destroem helicóptero e detêm piloto em operação contra garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

IACIT fortalece presença entre principais marcas globais na FIDAE 2024

Operação Catrimani II: Forças Armadas empregam 800 militares em nova fase de combate ao garimpo na TI Yanomami

Marinha e Polícia Federal apreendem carga de cigarros contrabandeados no litoral do Pará

Saturday, 20 de April de 2024
Home » Mercado & Indústria » Airbus Helicopters desenvolve um programa de modernização aos helicópteros TIGER

Airbus Helicopters desenvolve um programa de modernização aos helicópteros TIGER

Mercado & Indústria
Por

EC-665-Tigre-5

A empresa Airbus Helicopters está trabalhando e desenvolvendo um programa de modernização para o helicóptero de reconhecimento e ataque “Tiger”, e o nome do projeto foi batizado de “Tiger MK3”. O desenvolvimento do programa possui um prazo mínimo estimado em 18 meses, e ele deverá ser incorporado as aeronaves em operação através de um plano de modernização.

O projeto possui várias áreas de desenvolvimento envolvidas, desde questões para a sobrevivência das tripulações no Teatro de Operações, até as de manutenção e operação dos modelos com ênfase na redução de gastos durante a operação.Os pacotes de modernização foram concebidos à partir das operações reais e de combate em que os helicópteros de ataque “Tiger” estiveram envolvidos nos últimos anos, sendo possível citar o Afeganistão, a Líbia e a República de Mali.

Baseados nesta experiência os Tiger MK3 devem receber uma grande integração de novos armamentos; melhorias no sistema de navegação inercial e no GPS; novas proteções balísticas; sistema de verificação amigo/inimigo (IFF); sistemas de guerra eletrônica; interoperabilidade com outros meios no campo de batalha através da comunicação via satélite e com veículos aéreos não tripulados; adoção dos novos aviônicos e capacidade de operação em ambientes com visibilidade degradada.

Fonte | Fotos: operacional