News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Thursday, 13 de June de 2024
Home » Mercado & Indústria » Navantia oferece nova opção para o PROSUPER

Navantia oferece nova opção para o PROSUPER

Mercado & Indústria
Por

A Navantia, em confirmação oficial ao DAN, inseriu em suas propostas para o PROSUPER da Marinha do Brasil, uma versão da fragata F-100 classe Álvaro de Bazan, equipada com o radar phased-array CEAFAR.

Inicialmente, a Navantia tinha oferecido a fragata F-100 com o radar AEGIS SPY-1 D, ou um navio idêntico a fragata norueguesa Fridtjof Nansen, com o radar AEGIS SPY-1F. Porém, essas opções sempre esbarraram na desconfiança de que a transferência de tecnologia a ser repassada à MB não fosse autorizada pelo governo americano.

A nova opção é baseada no radar CEAFAR, da CEA Technologies, um radar digital phased-array que equipa as fragatas australianas da classe ANZAC.

O CEAFAR é um radar eletronicamente direcional de matriz digital ativa 3D, projetado para suportar múltiplas missões, incluindo a vigilância aérea, defesa de mísseis de cruzeiro, defesa contra mísseis balísticos, podendo “lockar” vários alvos simultaneamente. O radar, de matriz digital, é derivado da antena banda S, que foi desenvolvida a partir do processador de sinal Aegis Ballistic Missile Defense.

Os sistemas phased array possuem uma evidente vantagem sobre os radares convencionais, uma vez que seus painéis são fixos, o que torna a ação de detecção e travamento em um alvo em movimento mais rápida. Por não ter um movimento físico, o feixe do radar pode digitalizar com rapidez suficiente para acompanhar múltiplos alvos e ainda fazer uma busca maior.

Os escoltas convencionais possuem radares de vigilância com antenas rotativas para fazer a varredura do horizonte e, quando um alvo é detectado, ele só pode ser “visto” uma vez em cada varredura de 360 ​​graus. Se aumentar a velocidade da taxa de varredura, a definição alvo cai proporcionalmente.

Um dos aspectos mais importantes do desenvolvimento contínuo pela CEA de seu radar CEAFAR, tem sido a implementação de “beamforming” digital, ou feixe digital.

Uma das vantagens do radar CEAFAR é permitir que todas as informações e dados recebidos possam ser armazenados e então serem usados ​​para formar o maior número de feixes radar, rastreando múltiplos alvos.

Uma vantagem desta proposta é que a mesma permite a utilização dos mísseis Superfície x Ar ASTER 15 e ASTER 30, fabricados pela MBDA, em lugar dos mísseis STANDARD de origem americana.

O PROSUPER significa “Programa de Obtenção de Meios de Superfície” e prevê, em sua primeira fase, a construção de cinco Escoltas de 6.000 ton, de cinco Navios-Patrulha Oceânicos de 1.800 ton e de um Navio de Apoio Logístico de 13.000 ton.

Fonte | Fotos: operacional