RSS
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • RSS

Geopolítica

Para sempre e um pouco mais: EUA vão continuar no Afeganistão

Por   

US Army Afeganistão

O presidente afegão Ashraf Ghani, pediu para manter mais tropas norte-americanas no país do que fora planejado anteriormente. A Casa Branca satisfez o pedido, e os EUA deixarão ficar o dobro dos militares, 9.800 em vez de 5.500. Muitos afegãos podem não ser a favor da notícia. O presidente Ghani fez o pedido na terça-feira (24), sem considerar o fato de que a campanha militar, que parece eterna, colocou um enorme peso sobre o povo afegão.

A decisão da Casa Branca não aborda a promessa do presidente Obama de retirar as tropas até o final de seu mandato, em 2017. O comunicado da Casa Branca, estabelece apenas que “o calendário  específico de retirada das tropas norte-americanas em 2016 será definido mais tarde, durante este ano, para permitir aos EUA consolidar as tropas na missão baseada em Cabul até o final de 2016.”

Na terça-feira (24) os presidentes Obama e Ghani realizaram uma conferência de imprensa conjunta no âmbito da visita oficial de Ghani aos EUA. “Essa flexibilidade reflete a revitalização de nossa relação com o Afeganistão. A América continuará sendo seu parceiro para promover os direitos de todos os afegãos, incluindo mulheres e crianças”, disse Obama.

Soldados norte-americanos perto do carro diplomático que explodiu em Cabul

“A tragédia nos aproximou, e agora os interesses nos unem”, acrescentou Ghani. Após mais de uma década de guerra, 20 mil civis afegãos perderam a vida. A campanha militar dos Estados Unidos era destinada a erradicar o movimento Taliban mas a verdade é que o movimento ainda existe.

As estatísticas oficiais divulgadas pelo comando dos EUA-OTAN revelaram que 1.500 civis foram mortos durante os ataques realizados em apenas dez meses entre 2010 e 2011. Muitas vítimas mortais eram crianças, mas a maioria eram homens adultos confundidos com militantes. De notar que é fácil confundi-los, uma vez que as armas são um meio comum de autodefesa no Afeganistão.

Os homens, entrando em suas casas, muitas vezes ficam assustados com o súbito aparecimento de assaltantes armados e levam armas para proteger a sua família. Só que isso lhes pode ser fatal: são mortos pelos norte-americanos.

Tropas dos EUA e do Afeganistão na cidade de Yawez.

Um relatório publicado pela ONU no mês passado revelou que o ano 2014 foi um dos anos mais violentos da guerra no Afeganistão, porque 3.699 civis foram mortos, 714 deles crianças. A visita do presidente Ghani é primeira aos Estados Unidos desde que tomou posse em meados do ano passado e teve como pano de fundo a guerra que, no passado, foi qualificada por Obama como “necessária”.

FONTE : Sputniknews

Fonte | Fotos: operacional

, , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Formatura do Treinamento Específico de Auxiliar de Precursor

Dia Internacional do Peacekeeper no CCOPAB

Temporada hípica da EsEqEx

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.