News

Escoteiro do Rio de Janeiro é condecorado com a Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Sunday, 03 de March de 2024
Home » Geopolítica » Argentina pode vir ser a primeira cliente para o Gripen NG fabricado no Brasil

Argentina pode vir ser a primeira cliente para o Gripen NG fabricado no Brasil

Diversos
Por

 

GripenDemo_br725

Os ministros da Defesa do Brasil Celso Amorim, e da Argentina Agustín Rossi, após a cerimônia de apresentação do Embraer KC-390, assinaram um memorando de entendimento chamado Aeronautica Strategic Industry Alliance, que visa orientar e fortalecer o setor em ambos os países, o quadro jurídico adequado para o governo argentino, anunciou que seu país vai começar a negociar a compra de até 24 caças Saab Gripen NG, uma vez que estes serão produzidos no Brasil.

Que a Argentina possa à vir fornecer peças para essas aeronaves é uma questão a ser negociada posteriormente entre as partes e é algo propensos a se concretizar. Já integrados ao programa dp KC-390 o governo Argentino tem a intenção de revitalizar a semi paralisadas Fábrica Argentina de Aviones (FAdeA), enquanto seus próprios projetos não se concretizem.

Gripen E

O Ministro Amorim admitiu um estudo dedicado de como possam integrar a Argentina ao programa do caça Gripen , “as nossas intenções são de cooperar com a vizinha Argentina e todos amigos latinos-americanos”, expressou depois que o acordo foi assinado na presença dos três comandantes-em-chefe das Forças Armadas e de outras autoridades do Ministério da Defesa, referindo-se também a possibilidade de trabalhar em conjunto sobre temas navais, tais como as futuras OPVs.

A grande questão para integrar a Argentina ao projeto seria a existência de componentes do Gripen feitas no Reino Unido, dadas as relações turbulentas entre Buenos Aires e Londres, exemplificada com a recente objeção britânica para a oferta Israelense por aeronaves Kfir a este país.

Outra incerteza é que, em caso de uma resposta negativa para o ingresso da Argentina no projeto, isso possa vir a afetar como um obstáculo o acordo e contrato iminente entre Brasil e Suécia das primeiras 36 unidades do Caça Gripen NG.

Fonte | Fotos: defensa