News

SAFRAN ESTÁ NA FIDAE 2024 COM SEUS PRODUTOS DE PONTA

Embraer e FAB iniciam estudos para plataformas de missões especiais

Pavilhão Brasil, coordenado pela ABIMDE, é inaugurado por autoridades na FIDAE 2024

Forças Armadas e agências federais destroem helicóptero e detêm piloto em operação contra garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

IACIT fortalece presença entre principais marcas globais na FIDAE 2024

Operação Catrimani II: Forças Armadas empregam 800 militares em nova fase de combate ao garimpo na TI Yanomami

Marinha e Polícia Federal apreendem carga de cigarros contrabandeados no litoral do Pará

Saturday, 20 de April de 2024
Home » Geopolítica » Comandantes de forças de paz da ONU pedem apoio ao Conselho de Segurança

Comandantes de forças de paz da ONU pedem apoio ao Conselho de Segurança

Diversos
Por

As Nações Unidas encerraram, quinta-feira (27), uma série de reuniões de treinamento com os comandantes das forças de paz da organização em todo o mundo.

Durante uma sessão no Conselho de Segurança, os chefes militares pediram apoio para os boinas azuis e para o trabalho de assistência a autoridades e às populações dos países em que as missões de paz estão operando.

O comandante da Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo, Monusco, Carlos Alberto dos Santos Cruz, discursou ao Conselho de Segurança.

Segundo o general brasileiro, a Monusco começará a usar “em breve” aeronaves não-tripuladas para ajudar nas operações militares no país africano.

Nesta entrevista à Rádio ONU, antes da reunião, Santos Cruz disse que a prioridade é a proteção dos congoleses.

“O foco central, o ponto central da atenção de toda o planejamento militar, de toda a estratégia militar, tem que ser a proteção de civis. Esta é a grande motivação. E todas as ações serão feitas em função de proteger os civis porque a história de violência no Congo ela é muito profunda. Se teve mais mortes no Congo do que a soma de todos os outros conflitos nos últimos 10 anos.”

A entrega das aeronaves não-tripuladas está sendo esperada para setembro. De acordo com o general, o aumento da ameaça de rebeldes e forças hostis obriga as missões de paz a se equiparem à altura.

Já o general Muhammad Iqbal Asi da Missão da ONU na Cote d’Ivoire, ou Costa do Marfim, Unoci, afirmou que não existe um modelo único para todas as missões.

Segundo ele, o trabalho dos boinas-azuis sai ganhando com cooperação entre as forças de paz. Ele citou o caso de três infantarias que foram deslocadas da Missão na Libéria, Unmil, para a Unoci, no fim de 2010, para ajudar nas eleições marfinenses daquele ano.

Fonte | Fotos: africa21