News

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Grupo EDGE, dos Emirados Árabes Unidos, participa pela 1ª vez da LAAD

Thursday, 22 de February de 2024
Home » Geopolítica » União Europeia sanciona mais sete funcionários sob as ordens de Maduro na Venezuela

União Europeia sanciona mais sete funcionários sob as ordens de Maduro na Venezuela

Diversos

A União Europeia (UE) informou no dia 27 de setembro que está disposta a impor novas sanções econômicas ao regime de Nicolás Maduro na Venezuela, após anunciar medidas contra outros sete funcionários sob suas ordens.

O anúncio marca um tom mais severo do bloco, que até agora tratou principalmente de ajudar a mediar as conversações de paz.

“Essa grave situação… não pode ser ignorada”, disse a UE em um comunicado. O bloco mencionou ainda a crise econômica e política na Venezuela, em meio à hiperinflação e escassez de alimentos.

“A UE confirma sua disposição de trabalhar em novas medidas específicas para fomentar essa transição negociada”, informou o bloco.

As sanções recentes atingem sete membros dos serviços de segurança e inteligência da Venezuela, supostamente implicados em casos de tortura e outras violações de direitos.

As medidas preveem o congelamento de ativos e a proibição de viagens aos países do bloco. Entre os sete sancionados, quatro estariam vinculados à morte do Capitão de Corveta Rafael Acosta Arévalo, militar da Marinha da Venezuela que morreu quando estava sob custódia dos serviços de inteligência do regime de Nicolás Maduro.

“O impacto regional da crise não tem precedentes, com graves riscos para a estabilidade regional”, disse a alta representante da UE para Política Externa e Segurança Federica Mogherini.

A UE já sancionou 25 pessoas devido à crise na Venezuela, incluindo os citados funcionários no dia 27 de setembro.

Mogherini explicou que essas medidas poderão ser amenizadas se houver avanços.

Fonte | Fotos: Voz da América | Raul Arboleda, AFP