News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Thursday, 18 de July de 2024
Home » Internacional » Embraer “ameaça” Governo Português com cobrança de divida do programa KC-390

Embraer “ameaça” Governo Português com cobrança de divida do programa KC-390

Diversos
Por

Embraer Portugal

A Embraer se diz credora de U$S 9,5 milhões em um processo que tem vindo se arrastando,  e que tem como protagonista o programa dos aviões KC-390, onde a Embraer cobra do Governo Português cerca de U$$ 500 mil (cerca de € 446 mil). Em jogo está um diferendo entre os acionistas brasileiros e o ministério da Economia português sobre as verbas no programa dos aviões KC-390, selado em um acordo assinado em dezembro de 2011, quando Álvaro Santos Pereira era o gestor  da pasta da Economia.

DESTAQUE-foto-FACh-KC-390-visita-do-comandante-da-Força-Aérea-do-Chile-à-Embraer-580x408

De acordo com a publicação, a Embraer – “dona” de 65% das Oficinas Gerais de Material Aeronáutico – não quer os dividendos da empresa, relativos a 2014 seja distribuídos aos acionistas, defendendo que a empresa é a credora do dinheiro público no âmbito do programa dos aviões devido ao acordo junto ao Governo português.

KC-390-em-construção-já-com-asas-foto-Embraer-580x264

Esse mesmo acordo incluía U$S 30 milhões (pouco mais de € 27 milhões) de contribuições diretas que seriam somados aos U$S 9,5 milhões ( € 8 milhões) de financiamento indireto a partir das verbas europeias do QREN. E é deste último montante que os brasileiros se sentem credores e que está na origem da cobrança imposta ao Governo português e que pode custar aos cofres lusitanos quase meio milhão de euros.

FONTE : Noticias ao Minuto (Pt)

Fonte | Fotos: operacional