News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Friday, 21 de June de 2024
Home » Mercado & Indústria » Acordo com Embraer continua estrategicamente importante

Acordo com Embraer continua estrategicamente importante

Mercado & Indústria

O vice-presidente financeiro da Boeing, Greg Smith, afirmou nesta terça-feira (4) que a aquisição do controle da divisão comercial da fabricante brasileira de aviões Embraer continua estrategicamente importante para a companhia norte-americana.

Como você sabe, estamos no meio do processo de aprovação regulatória e portanto continuamos a monitorar isso e trabalhar de perto com a equipe da Embraer”, disse Smith em entrevista à Reuters.

Estrategicamente, ainda é uma grande parceria e temos que superar os obstáculos regulatórios e vamos ver quanto tempo isso levará. Ainda é uma prioridade para nós”, acrescentou o executivo.

Os comentários de Smith foram os primeiros de um executivo de alto escalão da Boeing desde que as turbulências nos mercados financeiros criaram incertezas sobre o acordo com a Embraer na semana passada, diante de um aparente descasamento entre o valor de mercado atual da fabricante brasileira e o preço que a Boeing aceitou pagar.

O acordo entre as empresas tem sido alvo de atrasos uma vez que autoridades da União Europeia determinaram mais tempo para avaliarem o negócio. Smith também disse que a Boeing não está em discussões para levantar novas dívidas, conforme tenta conter as consequências da pandemia de coronavírus.

Agora não. Os mercados estão basicamente fechados”, disse à Reuters por telefone. “Quero dizer, realmente não há muitas oportunidades para dívidas adicionais. Esse é um dos desafios.

Fonte | Fotos: Reuters