News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Saturday, 20 de July de 2024
Home » Mercado & Indústria » Embraer assina acordo de R$ 1,1 bi para venda de 22 aeronaves à China

Embraer assina acordo de R$ 1,1 bi para venda de 22 aeronaves à China

Mercado & Indústria
Por

E-jets-no-solo-foto-Embraer

A Embraer assinou um acordo final nesta terça-feira (19) para a venda de 22 aeronaves para a companhia chinesa Tianjin Airlines, subsidiária do grupo HNA, por um valor estimado de US$ 1,1 bilhão. O contrato inclui a venda de 20 aviões E-Jet 195 e dois E-Jet 190-E2. A entrega começa neste ano. O acordo entre a fabricante brasileira e a aérea asiática havia sido previamente anunciada em julho de 2014.

Na ocasião, a negociação previa a venda total de 40 aeronaves. Os 18 jatos E-190 E2 restantes serão entregues em uma segunda etapa do acordo, após aprovação chinesa. O primeiro E-Jet 195 será entregue em 2015. Já o primeiro E-Jet 190-E2, de até 130 lugares tem previsão de entrega em 2018 -. A Tianjin Airlines é atualmente a operadora com a maior frota de E-Jets na Ásia.

Transferência

A compra dos 22 aviões foi finalizada uma semana depois da Embraer anunciar a transferência de parte da linha de montagem dos aviões executivos Phenom, nas versões 100 e 300 para os EUA. O jato é um dos mais vendidos pela companhia. Com a transferência, cerca de 600 funcionários que trabalham no setor devem ser remanejados para a montagem dos jatos comerciais Ejets E2.

Parceria

O acordo final entre a Embraer e Tianjin Airline foi assinado no mesmo dia em que 35 acordos de cooperação entre Brasil e China, em ao menos oito áreas, foram firmados. O Brasil tem a China como principal parceiro comercial. O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, chegou ao Brasil na ultima segunda-feira (18).

Ele participou de reunião nesta terça-feira com a presidente Dilma Rousseff, entre as áreas que serão beneficiadas com os acordos anunciados nesta terça, estão planejamento estratégico, infraestrutura, transporte, agricultura e energia. Também haverá cooperação entre os países nas áreas de mineração, ciência e tecnologia e comércio.

Fonte | Fotos: g1