• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube

Geopolítica

Russia cobra explicação sobre noticia de que os Britânicos poderiam vir a atacá-los

Por   

Força Aeéra Russa.3

A embaixada russa solicitou que o Ministério das Relações Exteriores britânico explique a informação publicada na mídia segundo a qual as autoridades da Grã-Bretanha tinha tomado a decisão de deixar os pilotos que participam da operação da coalizão internacional liderada pelos EUA atacar os aviões russos. Antes o tablóide britânico Daily Star citou as fontes militares anônimas que informou que os pilotos podem atacar os aviões russos no espaço aéreo do Iraque em caso da ameaça à vida.

“Nós estamos preocupados com a informação da mídia uma vez que se trata das fontes de altos funcionários do gabinete. Fizemos uma solicitação urgente no Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha. Ao mesmo tempo, não está clara a hipótese própria do conflito potencial dos aviões britânicos e russos no ar em cima do Iraque. Se sabe que a aviação russa não participa dos ataques contra as instalações do Estado Islâmico no território deste Estado”, disse o embaixador russo Aleksandr Yakovenko.

Desde 30 de setembro a Rússia começou a realizar ataques aéreos contra as instalações do Estado Islâmico (EI) na Síria sob o pedido do presidente Bashar Assad. Por enquanto a Força Aeroespacial russa fez duas centenas de ataques contra os terroristas, destruindo cerca de 300 militantes, campos de treinamento, centros de comando, armazéns dos armamentos e outras instalações. Além disso, 26 mísseis de cruzeiro foram lançados pelos navios da Frota do mar Cáspio que atingiram com sucesso os alvos do EI.

O Estado-Maior russo disse que os militantes do EI sofrem perdas significativas e estão mudando o tático, se escondendo nas povoações. Segundo os militares russos, os alvos são escolhidos na base dos dados da inteligência russa, síria, iraquiana e iraniana. Se usam armamentos de alta precisão. O embaixador da Síria para a Rússia, Riad Haddad, confirmou antes que os ataques são realizados contra os agrupamentos armados, nem a oposição ou civis. Segundo ele, cerca de 40% das infraestruturas jihadistas no país árabe foram destruídas desde o início das operações militares russas. No domingo (11) o presidente russo negou a possibilidade de uma operação no solo sírio.

FONTE: Sputniknews

Fonte | Fotos: operacional

, , , , , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Dia Internacional do Peacekeeper no CCOPAB

Temporada hípica da EsEqEx

Dia do Exército – 1ª DE

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.