News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Sunday, 16 de June de 2024
Home » Força Aérea » Esquadrão Onça faz ressuprimento aéreo inédito para tropa do Exército em Roraima

Esquadrão Onça faz ressuprimento aéreo inédito para tropa do Exército em Roraima

Força Aérea

Na operação, FAB já lançou carga com 2.000 quilos utilizando nova capacidade operacional de emprego para as tripulações do C-105 Amazonas

O Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1°/15° GAV) – Esquadrão Onça, sediado na Base Aérea de Campo Grande (BACG), em Mato Grosso do Sul, realizou, nessa sexta-feira (25), a primeira Ação de Ressuprimento Aéreo real realizada pelo C-105 Amazonas.

O destino foi o Quarto Pelotão Especial de Fronteira (4º PEF) do Exército Brasileiro, localizado no aeródromo de Surucucu, na cidade de Alto Alegre, em Roraima. Já foram lançados 2000 quilos de víveres e suprimentos.

As operações em Surucucu prosseguem até segunda-feira (28/11), quando se estima entregar mais de 6000 quilos de suprimentos às tropas militares sediadas na localidade. “Por meio desse suporte, será possível mantermos as atividades de segurança e vigilância das nossas fronteiras, salvaguardando os interesses nacionais e contribuindo para a garantia da soberania nacional”, pontuou o Comandante do Quarto Pelotão Especial de Fronteira, Tenente Tanaka.

O Comandante do 1°/15° Grupo de Aviação, Tenente-Coronel Aviador Tito Livio Lúcio Alencar de Andrade, disse que espera chegar ao final do último dia com o objetivo completamente cumprido. “O emprego real com eficiência, segurança e precisão, nada mais é do que o resultado de muito treinamento e um fiel cumprimento das táticas, técnicas e procedimentos estabelecidos e só comprova o elevado grau de prontidão e adestramento das equipagens envolvidas”, declarou o Oficial.

O Capitão Aviador Renê Luiz Pereira da Costa, comandante da aeronave, diz se sentir honrado em fazer parte da missão. “A tripulação teve a oportunidade de utilizar todo o conhecimento operacional e técnico adquirido na Avaliação Operacional (AVAOP) e aplicar a recém-adquirida capacidade de emprego do C-105”, comemorou.

“Como brasileiro, sinto orgulho de poder colaborar com a prossecução da presença do Exército nas fronteiras de nossa terra”, complementou o Tenente Aviador Isaac Luiz Matias de Santana, do Esquadrão Onça.

Técnicas operacionais otimizadas para o lançamento de cargas

Em julho de 2022, o Instituto de Aplicações Operacionais (IAOp) conduziu na Base Aérea de Campo Grande (BACG), em Mato Grosso do Sul, a Avaliação Operacional (AVAOP) do sistema eletrônico de lançamento do projeto C-105 Amazonas, com o objetivo de desenvolver técnicas operacionais otimizadas para o lançamento de cargas do tipo Heavy (pesada, por extração) e CDS (Container Delivery System), além da determinação dos parâmetros balísticos do paraquedas T-10 para uso no referido sistema.

Como resultado dessa AVAOP, capitaneada pelo Comando de Preparo (COMPREP) e com um trabalho sinérgico da Base Aérea de Campo Grande, do Instituto de Aplicações Operacionais (IAOp) e do 1°/15° GAV, foi implementada uma nova capacidade operacional de emprego para as tripulações do C-105 Amazonas.

Segundo o Capitão Engenheiro Dymitri Cardoso Leão, Instrutor da referida AVAOP, a avaliação operacional do Ponto de Lançamento Calculado (CARP, do inglês Computed Air Release Point) do Sistema de Gerenciamento de Voo (FMS, do inglês Flight Management System) da aeronave C-105, a primeira realizada com o 1º/15º GAV, foi de suma importância para aprimorar os conhecimentos do IAOp sobre a doutrina de lançamento de carga. “Essa avaliação permitiu o desenvolvimento de técnicas otimizadas que se mostraram robustas e capazes de ampliar a acurácia e precisão do lançamento de cargas de forma sistemática, de modo a contribuir sobremaneira para o cumprimento das missões de ressuprimento aéreo de forma eficaz”, frisou.

A partir do resultado positivo desta avaliação, e uma vez implementadas as recomendações estabelecidas pelo IAOP, o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), acionou o Esquadrão Onça, com o objetivo de cumprir a Ação de Ressuprimento Aéreo na área do 4º Pelotão Especial de Fronteira.

Tendo em vista a complexidade da operação, diversas Organizações Militares estiveram envolvidas no planejamento e execução. O Primeiro Esquadrão do Nono Grupo de Aviação (1º/9º GAV) – Esquadrão Arara, Esquadrão operador na região, foi representado por um piloto, Capitão Aviador Marcus Vinicius Fernandes Portal da Silva, com o objetivo de orientar e compartilhar sua experiência na região da Amazônia.

A Base Aérea de Campo Grande participou com todo o material logístico necessário ao lançamento aéreo, e com militares, que foram chefiados pelo Tenente Aviador Gabriel Ramirez Pina, nas equipes de dobragem de paraquedas e montagem da carga, reforçados pelo apoio dos militares da 3ª Companhia de Forças Especiais e do 4º Pelotão Especial de Fronteira (PEF) do Exército Brasileiro. A Base Aérea de Boa Vista (BABV), local que sediou as atividades de preparação das cargas, participou com o C-98 Caravan e forneceu todo o suporte operacional para o desencadeamento das surtidas.

 

Fonte / Fotos: 1°/15° GAV – Esquadrão Onça
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Flávia Rocha – Revisão: Major Oliveira Lima

Fonte | Fotos: