News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Thursday, 13 de June de 2024
Home » Força Aérea » FAB leva alimentos a índios isolados em Roraima

FAB leva alimentos a índios isolados em Roraima

Força Aérea
Por

caravan

A Base Aérea de Boa Vista (BABV) transportou 1,5 toneladas de alimentos para a tribo indígena Ingarikó, localizada na Reserva Indígena Raposa e Serra do Sol, região totalmente isolada no norte de Roraima. A chegada ao local só é possível por meio de aeronave pequena, pois a pista de pouso não é pavimentada e possui dimensões reduzidas.

Em função do isolamento, os índios mantêm em Boa Vista (RR) um Conselho do Povo Indígena Ingarikó (COPING), responsável por todos os trâmites na região. Pela grande dificuldade de acesso e necessidade de suprimentos, o Tuxaua Josiel, responsável pela comunidade, e Miguel Josue, presidente da COPING, solicitaram a ajuda da BABV no transporte dos produtos alimentícios.

“Esse apoio é de suma importância para a sobrevivência dessas famílias que vivem numa região precária, afastada de estradas e cidades. Além disso, é a presença do Estado em uma reserva localizada estrategicamente no extremo norte do país”, afirma o Tenente-Coronel Aviador Mauro Bellintani, Comandante da BABV, que atendeu prontamente ao pedido do COPING.

O suprimento foi transportado numa aeronave C-98 Caravan da BABV durante todo o dia 4 de julho. Pela quantidade de alimentos, foram necessários três voos.

“Foi emocionante chegar numa região no meio de morros e ver o sorriso e o brilho nos olhos de cada criança ao observar a aeronave pousar e descarregar os alimentos”, comenta o Capitão Aviador Solano Magalhães Carvalho Vila Nova, do 1°/3° GAV, piloto da aeronave.

Fonte | Fotos: cecomsaer