News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Monday, 17 de June de 2024
Home » Geopolítica » Para Câmara dos Deputados intervenção na Síria sem autorização da ONU é grave

Para Câmara dos Deputados intervenção na Síria sem autorização da ONU é grave

Diversos
Por

Uma intervenção militar na Síria sem a devida autorização do Conselho de Segurança das Nações Unidas é algo extremamente grave, afirmou o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN), da Câmara dos Deputados, Nelson Pellegrino (PT-BA).

Para o deputado, “o uso de armas químicas ou de destruição em massa contra civis é inaceitável e deve ser profundamente investigado. Por outro lado, é igualmente inaceitável que um país decida unilateralmente intervir militarmente na Síria sem o aval do Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

Nelson Pellegrino também elogiou decisão adotada pelos presidentes dos países que integram a União das Nações Sul-Americanas (UNASUL), que no último sábado aprovaram uma declaração conjunta condenando as ações na Síria sem o consentimento da ONU.

“A postura norte-americana revela desprezo pelos mecanismos multilaterais que deveriam ser fortalecidos justamente para que uma solução pacífica fosse encontrada para a Síria”, explicou.

Para o deputado, a próxima reunião do G-20 que ocorre em São Petesburgo, na Rússia, nos dias 5 e 6, deve ser aproveitada pelos líderes dos países emergentes, incluindo o Brasil, para uma tomada de posição contra a intervenção norte-americana na Síria.

Além disso, ele defendeu que atores externos trabalhem em conjunto com a Liga Árabe para que se encontre uma alternativa à guerra civil que já matou mais de 200 mil pessoas. Pellegrino lembrou ainda que os inspetores da ONU que estiveram na Síria afirmaram não ser possível comprovar o uso de armas químicas contra civis.

Fonte | Fotos: credn

Tags: - - - -