News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Thursday, 20 de June de 2024
Home » Ministério da Defesa » MD elabora estudo para os próximos 20 anos com o tema: “Defesa 2035: Visão Prospectiva”

MD elabora estudo para os próximos 20 anos com o tema: “Defesa 2035: Visão Prospectiva”

Ministério da Defesa
Por

Internet Grandona

Por Alexandre Gonzaga

O Ministério da Defesa (MD), por meio do Instituto Pandiá Calógeras e da Assessoria de Planejamento, promoveu nesta terça-feira (11) o primeiro encontro do Ciclo de Seminários sobre Planejamento Estratégico de Defesa, com o tema “Defesa 2035: Visão Prospectiva”. O evento, que ainda contará com mais cinco palestras até o final do ano, tem por objetivo debater assuntos da defesa nacional e contribuir com o processo de revisão e atualização dos documentos previstos no Sistema de Planejamento Estratégico de Defesa (SISPED).

Conduzido pelo coronel Fabio Sahm Paggiaro, a palestra de hoje abordou um novo método de construção de cenários para os próximos 20 anos, desenvolvido pela Assessoria de Planejamento. De acordo com o militar, o estudo vida identificar fatos e situações conjunturais e estruturais, relacionadas à segurança e à defesa do Brasil, cujas possíveis evoluções venham a impactar nas atribuições constitucionais e legais do Ministério da Defesa e das Forças Armadas. “A intenção é que o método seja um instrumento de trabalho, de organização e gestão do Ministério, porém ele possui uso múltiplo e diversos níveis temáticos”, disse Paggiaro.

O método, elaborado entre 2011 e 2014, contou com pesquisas disponibilizadas publicamente por entidades civis e militares como a Escola Superior de Guerra e a Fundação Getúlio Vargas, entre outras.

Internet e Intranet pequena

Ainda segundo o coronel Paggiaro, o estudo aponta também tendências e possíveis desdobramentos sem elaborar juízo de valor sobre as relações de causa e efeito, no qual são analisados ambientes internacionais, nacionais e regionais, além de dimensões econômica, social, ambiental, tecnológica, política e militar. Ele explica que a partir disso são gerados conjuntos analíticos com possíveis impactos para a segurança e a defesa nacionais e o desencadeamento de eventos futuros.

A pesquisa, de caráter reservado, poderá embasar documentos, que a partir de 2016, passarão por revisões como a Estratégia Nacional de Defesa, o Livro Branco de Defesa, a Política Setorial de Defesa, além de planos operacionais. O material possui uma estrutura ordenada por temas, frases e de acordo com uma classificação de probabilidades dos fatos acontecerem ao longo do tempo.

Ao final do evento, a secretária-geral do MD, Eva Chiavon, elogiou o trabalho desenvolvido e enfatizou a metodologia empregada, que permite uma atualização e dinâmica no seu emprego. Ela salientou que pressões e disputas podem ocorrer em virtude da escassez de alimentos, fontes de energia renováveis e água, e estudos como este são de fundamental importância para o país.

A próxima palestra acontecerá no dia 1º de setembro e vai abranger o tema “Cenários Prospectivos em Segurança Pública no Brasil”, a cargo do diretor do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Helder Ferreira.

Fonte | Fotos: ministeriodadefesa