News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Friday, 14 de June de 2024
Home » Mercado & Indústria » Embraer planeja que o primeiro voo do KC-390 seja logo após o Natal

Embraer planeja que o primeiro voo do KC-390 seja logo após o Natal

Mercado & Indústria
Por

Rollout do KC 390Por Virgínia Silveira

A Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB) estão trabalhando para realizar o primeiro voo do jato de transporte militar KC-390 ainda este mês. Segundo o Valor apurou, a Embraer planejou fazer o teste por volta do dia 28 de dezembro, mas a empresa não confirma e informa apenas que o primeiro voo deve acontecer ainda este ano.

O presidente da Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate), responsável por 95% dos projetos de desenvolvimento, aquisição e modernização da Força Aérea Brasileira, brigadeiro José Augusto Crepaldi Affonso, disse que a aeronave está na fase de testes de vibração e outros. Os três pilotos que estão no comando dos testes para o primeiro voo, segundo o brigadeiro, são militares da reserva da FAB, que trabalham hoje para a Embraer.

O brigadeiro disse que mesmo com as dificuldades orçamentárias, que impactaram o andamento de vários programas que a Copac mantém, os eventos macros do KC-390 estarão garantidos. “Isso inclui o rollout [apresentação, que já foi feita], o primeiro voo, a certificação da aeronave e a sua entrada em operação, que está sendo aguardada com expectativa pelo mercado internacional”, afirmou.

A Força Aérea Sueca, segundo Crepaldi, tem interesse na aeronave. A frota de C-130 (aeronaves de transporte) usada por eles está chegando ao fim da vida útil. Para os Emirados Árabes, a FAB respondeu um pedido de informações (RFI, da sigla em inglês).

Além da encomenda da FAB, o KC-390 tem 32 cartas de intenção de compra da Argentina, Portugal, República Tcheca e Colômbia. A Embraer projeta um mercado potencial de 700 aeronaves na categoria do KC-390 nos próximos 10 anos. A empresa espera conquistar entre 15% e 20% desse mercado.

kc 390

Considerado um dos projetos prioritários do governo na área de defesa, o KC-390 foi incluído no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), mas nem este fato garantiu o repasse dos recursos previstos no orçamento para o projeto durante o primeiro semestre. A Embraer precisou recorrer ao seu caixa para conseguir cumprir o cronograma de desenvolvimento da aeronave. O valor contingenciado neste período chegou a R$ 500 milhões.

As atividades da produção seriada do KC-390 foram iniciadas em maio. A FAB contratou um lote de 28 aeronaves. Para produzir os aviões e também os equipamentos de apoio de solo, logística inicial e treinamento de pilotos e mecânicos, a FAB conseguiu aprovar uma verba de R$ 1,9 bilhão. A entrega do primeiro avião para a FAB é prevista para o fim de 2016.

A modernização dos caças AMX e F-5, pela Embraer, avaliados em R$ 2,1 bilhões, também foi afetada e diminuiu o ritmo do trabalho. De acordo com o presidente da Copac, o cenário fiscal para o ano de 2015 ainda está incerto. “Estamos avaliando a possibilidade de diminuir o número de aeronaves a serem modernizadas. Até agora três, de um total de 43, foram entregues”, revelou.

A Embraer registrou crescimento de 21% nas vendas de jatos este ano em relação a 2013. Para 2015 a fabricante brasileira também mantém uma expectativa de resultados positivos em vendas e estima um incremento da ordem de 15%. Os números foram apresentados ontem pelos executivos da Embraer, durante Encontro Anual de Fornecedores de Subcontratos da Embraer. A fabricante afirmou que o mercado está cada vez mais competitivo, mas que não pretende mexer na margem de lucro das vendas de aeronaves.

Fonte | Fotos: valoreconomico