News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Saturday, 13 de July de 2024
Home » Mercado & Indústria » OGMA garante que os dividendos serão decididos de acordo com a realidade e os investimentos

OGMA garante que os dividendos serão decididos de acordo com a realidade e os investimentos

Mercado & Indústria
Por

80_bigPor Nuno Sá Lourenço

As Oficinas Gerais de Material Aeronáutico (OGMA) reagiram esta segunda-feira à notícia que dava conta da possibilidade da empresa não distribuir os dividendos em relação aos resultados do ano passado, ao mesmo tempo em que existe um diferendo entre o Governo e a EMBRAER em relação ao programa KC-390, garantindo não haver qualquer relação entre as duas situações.

Em comunicado, a OGMA assegurou ser “desprovido de fundamento” a associação das duas matérias e garante que “as decisões relativas a dividendos são tomadas pela respectiva assembleia de acionistas e resultam unicamente de uma análise detalhada e rigorosa da realidade econômico-financeira da OGMA S.A. e do seu plano de investimentos”.

A empresa onde o Estado português tem uma participação de 35%, “nega ter recebido qualquer instrução do seu acionista maioritário, a EMBRAER S.A., no sentido de associar ou fazer condicionar decisões específicas nessa matéria por quaisquer outros assuntos em curso com o Governo português e decorrentes da normal atividade das OGMA”.

Embraer Portugal

Na notícia, é relatado que a justificação oficial ventilada para a não distribuição de dividendos era a necessidade de investimentos na OGMA, nomeadamente em seu um sistema de pintura. Mas acrescentava-se ainda que perante os responsáveis portugueses foi referida a questão do diferendo da Embraer (acionista maioritário nas OGMA) com o Ministério da Economia relacionado com o pagamento de 9,5 milhões de dólares na parceria com Estado português a propósito do programa de desenvolvimento do avião de transporte militar KC-390, parcialmente construído em Portugal.

Também nesta segunda-feira o ministro da Defesa José Pedro Aguiar-Branco, que tem a tutela das questões relacionadas com as indústrias de Defesa (onde se incluem a OGMA), reagiu à notícia admitindo a existência de um problema: “Essa é uma situação que está sendo monitorado pelo Ministério da Economia, que é quem tem a relação com a Embraer. Esses contatos irão com certeza produzir efeitos”, afirmou a partir de Oslo, onde acompanha o Presidente da República em visita oficial.

FONTE : Publico.Pt

Fonte | Fotos: operacional