News

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Grupo EDGE, dos Emirados Árabes Unidos, participa pela 1ª vez da LAAD

Tuesday, 27 de February de 2024
Home » Exército » CTEx conclui mais uma etapa de Integração do Projeto TORC30

CTEx conclui mais uma etapa de Integração do Projeto TORC30

Exército
Por

TORC-30-GUARANI

O Centro Tecnológico do Exército (CTEx) finalizou mais uma etapa, a integração do canhão Rheinmetall MK30-2/ABM na estativa, desta feita, visando o desenvolvimento do sistema de alimentação de munição.

O próximo passo será o teste com a realização do tiro e, posteriormente, sua integração a Torre Operada Remotamente e Estabilizada para Canhão 30mm (TORC-30), moderno sistema de emprego dual (antiaéreo e terrestre) que utiliza o canhão Rheinmetall MK 30-2 ABM (Air Burst Munitions) de 30x173mm (o mesmo utilizado no IFV Puma).

PR_Image_Lance_MK30_2_ABM

A atividade de integração do canhão foi realizada pela Seção de Armamento e Munição da Divisão Bélica, no período de 26 a 29 de maio, e contou com o apoio da Seção de Apoio Mecânico, que realizou operações de usinagem de algumas peças; da Divisão de Tecnologia da Informação, para transporte da estativa e do canhão utilizando viatura Munck; e de técnicos das empresas Ares, Elbit e Rheinmetall.

Em julho, serão realizados os primeiros testes em estativa para verificar o funcionamento do sistema de alimentação adotado, e eventuais necessidades de correções no projeto, antes da produção do protótipo operacional da TORC-30, que será integrada a uma nova versão 6×6 do Guarani e funcionará remotamente equipada com o sistema de tiro já empregado na REMAX, desenvolvida numa parceria entre o CTEx e a ARES.

Guarani (2)

Embora tenha capacidade antiaérea, a TORC-30 não terá um radar, o que reduzirá significativamente o peso da torre, dispensando a necessidade de pilares de reforços estrutural como os do Guarani equipado com a torre UT-30 BR, da Elbit-AEL. A TORC-30 também apresenta um perfil mais baixo que a torre israelense.

Este programa foi garantido com recursos do FINEP. Em 23/07/2012 o fundo liberou R$ 3.198.500,00. O projeto e fabricação da torre TORC 30 tem previsão de conclusão em 2015.

Fonte | Fotos: infodefensa