News

SAFRAN ESTÁ NA FIDAE 2024 COM SEUS PRODUTOS DE PONTA

Embraer e FAB iniciam estudos para plataformas de missões especiais

Pavilhão Brasil, coordenado pela ABIMDE, é inaugurado por autoridades na FIDAE 2024

Forças Armadas e agências federais destroem helicóptero e detêm piloto em operação contra garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

IACIT fortalece presença entre principais marcas globais na FIDAE 2024

Operação Catrimani II: Forças Armadas empregam 800 militares em nova fase de combate ao garimpo na TI Yanomami

Marinha e Polícia Federal apreendem carga de cigarros contrabandeados no litoral do Pará

Tuesday, 23 de April de 2024
Home » Exército » Exército aguarda liberação de verbas para projetos considerado estratégicos

Exército aguarda liberação de verbas para projetos considerado estratégicos

Exército
Por

general-enzo-peri

O comandante do Exército, General Enzo Peri, afirmou esperar que o governo libere recursos orçamentários até o fim do ano para projetos considerados estratégicos para a área de defesa tocados pelo Exército, entre os quais o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), Projeto Guarani e Astros 2020.

sisfron2-600x373

“Temos esperança de que até o fim do ano outros descontingenciamentos venham favorecer nossos projetos estratégicos”, disse o general, após participar em Brasília de cerimônia em comemoração ao Dia do Soldado, destacando que foram autorizadas duas liberações de recursos desde o bloqueio orçamentário anunciado no início do ano.

Astros 2020II

Embora (os projetos) estivessem no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), este ano, pela primeira vez, foram atingidos (pelo bloqueio de recursos), mas temos essa expectativa, essa boa esperança, afirmou Peri.

Guarani (2)

O contingenciamento de verbas e cortes orçamentários atingiram os principais projetos da área de defesa este ano, conforme reportagem publicada ontem. Do total previsto para 2014, o Ministério da Defesa informou ter empenhado 88%, pouco menos de R$ 4 bilhões, mas efetivamente pagou 36%, cerca de R$ 1,5 bilhão. Empresas do setor se queixam do ritmo de liberação dos recursos.

 

Fonte | Fotos: valoreconomico