News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Monday, 15 de July de 2024
Home » Exército » O emprego de Blindados no amplo espectro do conflito

O emprego de Blindados no amplo espectro do conflito

Exército
Por

OEA EB3Por Gilmar Pinheiro Flores

As Operações de Amplo Espectro (OAE) surgem como um modelo conceitual teórico(¹), cuja principal finalidade é sistematizar algo que sempre aconteceu nas guerras contemporâneas: o emprego da força militar para atacar ou se defender de um inimigo; a preocupação em cooperar com a reconstrução do local dos combates e a pacificação daqueles que, em menor escala, possam subverter a ordem.

E como empregar meios blindados sob esta ótica? As OAE contemplam as tradicionais Operações Ofensivas e Defensivas e as atuais Operações de Pacificação e de Apoio a Órgãos Governamentais, sendo que estas últimas são o terreno fértil do relacionamento inter agências.

Com base no descrito, os Comandantes de tropas blindadas e mecanizadas, dependendo do seu nível de comando, poderão ter que coordenar tarefas em todo amplo espectro e evoluir rapidamente de uma tarefa com menos atrito para outra com grande emprego de força ou reduzir o emprego da violência a níveis mínimos necessários para garantir a sua própria segurança ou de terceiros.

OEA EB2

Não resta dúvida de que frações blindadas e mecanizadas foram organizadas para atingirem a plenitude do seu emprego executando as tarefas Ofensivas e Defensivas, contudo o próprio conceito de OAE mostra que, normalmente, haverá a combinação simultânea de atitudes. Considerando as frações blindadas e mecanizadas, que vão desde o Pelotão até a Brigada, de forma bem objetiva, pode-se identificar que:

– Brigada (Blindada ou Mecanizada) terá condições de atender à simultaneidade de atitudes em todo amplo espectro;

– Batalhões e Regimentos poderão realizar até duas tarefas (Ofensivas/Defensivas, combinadas a pacificação e/ou com o apoio a órgãos governamentais);

– Subunidades e Pelotões serão empregados em somente um tipo de tarefa.

O mencionado está relacionado ao planejamento padrão, mas é sabido que após o primeiro disparo tudo pode acontecer e as missões podem evoluir para um maior ou menor emprego da violência.

Por isso, os Comandantes deverão reforçar atributos pessoais como a liderança e a flexibilidade e desenvolver processos que permitam uma acurada consciência situacional, de modo a identificar, previamente, uma possível mudança da tarefa que foi atribuída na fase do planejamento.

OEA EB5

Dizer que haverá uma prioridade para o emprego de meios blindados e mecanizados em uma faixa específica do Amplo Espectro pode ser precipitado. O Afeganistão, o Iraque, a crise na Ucrânia, o Haiti, o Alemão e a Maré, mostram que há espaço para o emprego desses meios e dessas frações na extremidade inferior do espectro(²), desde que adequadamente instruídas e adestradas.

As Brigadas Blindada e Mecanizada por possuírem o maior poder de combate convencional disponível à Força Terrestre, podem ser consideradas como as Grande Unidades mais organizadas para atuar em todo espectro do conflito, sem necessidade de grandes modificações. Estas Grande Unidades realmente estão alinhada com o FAMES(³) :

– Possuem a flexibilidade de compor forças tarefas;

– Tem condições de migrar da pacificação para o emprego máximo da violência, demonstrando adaptabilidade;

– A sua organização já privilegia a modularidade, materializada pela organização de Forças Tarefas (FT).

– Tem condições de receber elementos de mesma natureza ou leves, pois estão dimensionadas logisticamente para isso, reforçando a elasticidade;

– Estão organizadas em estruturas, quaternárias (Bda Bld e Bda Inf Mec) que, em combinação com a capacidade Logística, permitem durar na ação, garantindo a sustentabilidade.

OEA EB4

Conclusão :

Empregar meios blindados e mecanizados no amplo espectro é o desafio atual dos Comandantes dessas frações e este desafio deve ser estudado e debatido e uma máxima da caserna explica os motivos para o emprego desses meios em todo o espectro do conflito: Quem pode mais, pode menos!

AÇO, BOINA PRETA, BRASIL!

Notas : O Autor do artigo é  2º Sargento de Infantaria, Auxiliar da Seção de Doutrina do CI Bld; (¹)Um conjunto de suposições baseadas no mundo real que indicarão as regas de um sistema e que ajudarão no entendimento dos processos; (²) p. 3-2. do Manual EB20-MF- 10.103 de Operações; (³) Característica das Forças da Era do Conhecimento.

FONTE : Centro de Instrução de Blindados

Fonte | Fotos: operacional