News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Friday, 21 de June de 2024
Home » Força Aérea » Ministério da Defesa compra misseís AGM-84L Harpoon Block II para os P-3AM da FAB

Ministério da Defesa compra misseís AGM-84L Harpoon Block II para os P-3AM da FAB

Força Aérea
Por

AGM-84L-missile

O Departamento de Estado do Governo dos Estados Unidos aprovou uma possível venda, via Foreign Military Sales, de mísseis anti-navio AGM-84L Harpoon Block II ao MoD do Brasilo DSCA (Defense Security Cooperation Agency) notificou o Congresso dos Estados Unidos sobre a possibilidade dessa venda no dia 06 de maio de 2014.

O Ministério da Defesa do Brasil fez uma requisição para a compra de 16 mísseis AGM-84L Harpoon Block II, sendo 4 mísseis inertes de manejo e treinamento Captive Air Training Missiles (CATM) Harpoon Block II, containers, partes e peças de reposição, equipamento de teste e suporte, documentação técnica e publicações correlatas, treinamento de pessoal e treinamento no equipamento, assistência técnica avalizada pelo governo dos Estados Unidos, suporte logístico e de engenharia, dentre outras necessidades relatadas no documento apresentado, tudo a um custo aproximado de US$ 169 milhões.

FAB__P3_Orion

A Força Aérea Brasileira (FAB) vem continuamente aprimorando suas capacidades de guerra anti-superfície, especialmente no tocante ao avião de patrulha marítima e guerra anti-submarina P-3 AM, operado pelo Esquadrão Orungan (1º/7º GAV), sediado em Salvador (BA).

Essa modernização ampliará drasticamente as capacidades da aeronave na luta contra os crimes transnacionais cometidos no mar, vigilância das fronteiras marítimas, proteção das estruturas críticas offshore da indústria do óleo e gás, proteção a pesca e ao comércio marítimo, etc.

As empresas estadunidenses listadas como possíveis contratadas seriam a Boeing Company (St.Louis, Missouri), a Delex Systems Incorporated (Vienna, Virgínia). Ao que se sabe, e segundo o que foi divulgado até o momento pela DSCA, não existem, por parte do Governo Brasileiro, exigências contratuais de contrapartidas off-set sobre essa venda em potencial.

Fonte | Fotos: infodefensa