News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Tuesday, 23 de July de 2024
Home » Força Aérea » O lado feminino no Exercício Carranca IV

O lado feminino no Exercício Carranca IV

Força Aérea
Por

Presença Feminina no exercicio carranca IV.4Por Asp Jor Cynthia Fernandes

“Aqui em todo o momento me tratam de igual para igual, não existem diferenças”, diz a sargento Renata Silva, que participa pela primeira vez da Operação Carranca, em Florianópolis (SC).  A quarta edição do exercício é recorde na participação do quadro feminino. Ao todo, são 14 mulheres num universo de 350 militares.

Segundo a graduada, que é do Centro de Coordenação de Salvamento (RCC, do inglês Rescue Coordination Center) de Curitiba (PR), é um privilégio trabalhar no serviço de busca e salvamento. “Estamos aperfeiçoando o serviço, treinamos para cumprir com excelência essa nobre missão”, declara.

Diariamente, as militares oficiais e graduadas na Operação Carranca atuam em diversas áreas da manobra. São aviadoras, médicas, especialistas em instrumentos, equipamento de voo, tráfego aéreo e em manutenção de aeronaves.

Presença Feminina no exercicio carranca IV

A sargento Elizângela Secco, que tem a especialidade de eletricidade e instrumentos, está participando da formação como operadora de equipamentos (OE) no helicóptero H-34 Super Puma.

Para ela, sempre existe uma mudança no clima de trabalho que, geralmente, é composto pela maioria masculina. “Quando chega uma mulher no esquadrão, o clima muda. Mas não é nada que não seja adaptável. A formação é sempre a mesma para homem e mulher”, afirma.

A experiência na Operação Carranca já não assusta mais a Sargento Thais Bruna Lima, a única mulher na direção do exercício. “Me sinto muito honrada de estar aqui participando. Tudo acontece de uma maneira muito profissional, não existe diferença entre homem e mulher”, disse.

Presença Feminina no exercicio carranca IV.5

Presença Feminina no exercicio carranca IV.2

Presença Feminina no exercicio carranca IV.3

FONTE : www.carranca.aer.mil.br

Fonte | Fotos: operacional