News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Saturday, 20 de July de 2024
Home » Geopolítica » Exército dos EUA pode vir a treinar tropas Ucranianas

Exército dos EUA pode vir a treinar tropas Ucranianas

Diversos
Por

tropas EUA

O Pentágono estuda enviar tropas norte-americanas para treinar os soldados ucranianos que lutam contra os independentistas no leste do país, segundo afirmou o tenente-general Ben Hodges, comandante do Exército norte-americano na Europa. A declaração foi feita durante uma visita do oficial à sede do Corpo do Exército Multinacional da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) nesta quarta-feira (11), na cidade polonesa de Szczecin.

De acordo com Hodges, um batalhão de soldados norte-americanos vai treinar três batalhões ucranianos no centro de treinamento de Yavariv, na cidade de Lviv. O anúncio ocorre em meio à intensificação dos combates em Donbass, e no momento em que líderes franceses, alemães, ucranianos e russos se reúnem, em Minsk, para tentar avançar as negociações de paz.

MANIOBRAS MILITARES EN UCRANIA

Nas palavras de Hodges, que, assim como Washington, acusa a Rússia de apoiar os partidários da independência no leste da Ucrânia, a preparação consiste em ensinar os soldados ucranianos a defenderem-se melhor da “artilharia e bombas dos russos e rebeldes”. Além disso, o treinamento ainda inclui a segurança de estradas, pontes e outros tipos de infraestrutura, o tratamento e retirada de vítimas e operação em ambientes nos quais os russos supostamente teriam acesso às comunicações.

Hodges ainda acusou o presidente russo Vladimir Putin de fornecer armas e apoiar os “separatistas” na área ao redor da cidade de Debaltsevo. “Eu temo que, se eles tomarem Debaltsevo, irão direcionar suas atenções para Mariupol”, disse o comandante, referindo-se à estratégica cidade portuária.

Fonte | Fotos: estadao