News

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Grupo EDGE, dos Emirados Árabes Unidos, participa pela 1ª vez da LAAD

Tuesday, 27 de February de 2024
Home » Ministério da Defesa » Honduras vê o Brasil como opção para reequipar sua Força Aérea

Honduras vê o Brasil como opção para reequipar sua Força Aérea

Ministério da Defesa
Por

F 5 FAH3

O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, disse nesta terça-feira que o Brasil é “uma opção real” para fortalecer a Força Aérea Hondurenha, após a ameaça dos Estados Unidos de não permitir a reposição de peças a sua frota de caças F 5 que o país centro-americano comprou nos anos 80.

“O Brasil é uma opção real para nos ajudar a reequipar a Força Aérea Hondurenha”, disse Hernández, de acordo com um comunicado da Casa Presidencial divulgado hoje em Tegucigalpa.

Embraer-T-27-Tucano-Fuerza-Aerea-Hondurena-FAH-258-foto-wikimedia-N-Mejía

O Brasil “nos dá muita independência” e por isso Honduras terá “a capacidade de atuar em certas aéreas nas quais com outros países não podemos”, ressaltou o presidente.

O embaixador do Brasil em Tegucigalpa, Zenic Krawctschuk, disse em abril que apoiaria Honduras na reparação e modernização de 20 aviões militares hondurenhos para melhorar o combate ao narcotráfico.

Aparentemente essa colaboração implicaria a transferência para o Brasil dos F 5, o que tornaria necessária autorização dos Estados Unidos por ser fabricante dos equipamentos, publicou a imprensa hondurenha.

F 5 FAH

Hernández afirmou no último dia 9 que funcionários americanos ameaçaram o Governo de  Honduras de não permitir a reparação dos aviões de caça comprados de Washington há três décadas.

O governante também pediu aos Estados Unidos que esclareça se continuará ajudando Honduras na luta contra a violência, que causa diariamente 15 mortes, e o tráfico de drogas.

F 5 FAH2

Desde sua posse, em 27 de janeiro, Hernández iniciou um programa de segurança orientado a reduzir a violência criminal no país derivada do narcotráfico e do crime organizado.

FONTE : Terra

Fonte | Fotos: operacional