• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Geopolítica

Lavrov condiciona futuros acordos nucleares à participação multilateral

Por João Pedro Sá Teles      |     26/06/2013 às 20:38

iran-nuclear-deal-lavrov.si

O Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov afirmou essa semana que qualquer acordo de redução de armas nucleares a ser negociado no futuro precisa contar com a participação de todos os países que possuem arsenais nucleares.

O novo START, assinado entre Rússia e EUA em 2010, pode ser o último da era de tratados de redução bilateral de arsenais. Segundo Lavrov, os últimos números alcançados pelo START são os mínimos que se pode chegar sem arriscar a paridade nuclear com os demais países que também possuem arsenais nucleares.

A posição russa pode, por um lado, complicar o cenário dos esforços internacionais contra a proliferação nuclear, por outro lado pode expandir a redução de arsenais nucleares para níveis globais. Tudo depende da aceitação das demais potências nucleares em negociar conjuntamente e, caso aceitem, se vai ser possível chegar num acordo que agrade a todos.

O histórico de negociações desse tipo, primeiramente entre URSS e EUA, mostra que são negociações bastante complexas e conciliar a posição de mais do que dois atores só vai deixar a negociação ainda mais complicada. É difícil ver EUA, Rússia, França, Reino Unido, China, Paquistão, Índia, Coreia do Norte e, possivelmente, Israel chegando facilmente num acordo.

O arsenal de Rússia e EUA, pelo novo START, deve alcançar o patamar de 1500 ogivas. Estimasse que as demais potências possuam, em média, entre 100 e 300 ogivas cada uma.

Caso a proposta russa receba aceitação será a primeira vez que as negociações de redução de arsenal vão ser a nível multilateral.

, , , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Base Aérea de Santa Cruz abre suas portas em evento festivo

“Portões Abertos 2015” do Museu Aeroespacial

Voando com o Esquadrão Adelphi




©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.