RSS
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
  • RSS

Força Aérea

FAB envolve quatro aeronaves na capacitação operacional de paraquedistas

Por   

Paraquedistas.3

Quatro aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) participaram até a última sexta-feira (14/08), no Rio de Janeiro (RJ), do treinamento de paraquedistas do Exército Brasileiro (EB). A Quinta Força Aérea (V FAE), unidade responsável pela aviação de transporte da FAB, envolveu um C-130 Hércules, um C-105 Amazonas e dois C-95 Bandeirante na missão.

Paraquedistas.7

O treinamento é rotineiro e tem o objetivo de pôr em prática o que os militares do Exército aprendem na Brigada de Infantaria de Paraquedista, localizada na capital fluminense. De acordo com o adjunto de operações da V FAE, Capitão Luciano de Souza Bacellar, essa capacitação faz parte do plano de provas do paraquedista do EB. “Eles têm que realizar seis mil aberturas de paraquedas por trimestre. É um treinamento rotineiro”, explica o militar.

Paraquedistas.4

Já para a Força Aérea, o exercício auxilia na manutenção operacional dos aviadores e na formação dos pilotos recém-chegados aos esquadrões de transporte da FAB. “É uma via de mão dupla. Da mesma forma que o Exército têm que formar paraquedistas, nós temos que fazer a capacitação do nosso piloto”, explica o capitão.

Paraquedistas.6

Cinco unidades aéreas participam diretamente do treinamento. Uma delas é o Esquadrão Rumba (1°/5° GAV), sediado em Natal (RN). Esta é a primeira unidade do piloto de transporte da Força Aérea. Ao chegar no Esquadrão, uma das instruções que os militares recebem é sobre a forma correta de fazer o lançamento do paraquedista.

Paraquedistas

“Há uma série de procedimentos para realizar esse tipo de lançamento”, explica o capitão. Segundo ele, a preparação é importante porque em uma situação de guerra, por exemplo, está previsto fazer a incursão com o lançamento de combatentes. “Nesses casos, nós lidamos com vidas, é preciso fazer o procedimento correto”, ressalta.

Paraquedistas.8

O Aspirante Marley Jorge Nascimento Fernandes está participando do treinamento pela primeira vez. Segundo ele, quatro tipos de técnicas são treinadas. A primeira é o lançamento precursor, onde um  paraquedista especializado salta primeiro e faz a verificação do terreno. A segunda é o lançamento na luz verde, no qual o militar que saltou primeiro comanda o “já” para o piloto, que acende a luz verde liberando o salto dos próximos paraquedistas.

Paraquedistas.2

No salto na vertical da letra código, os primeiros paraquedistas a saltar formam uma letra, combinada anteriormente, ao chegar ao solo. Essa luz será vista pelo piloto para autorizar ou não o salto dos paraquedistas restantes. Além destes três tipos, há também o lançamento livre, mais usado para demonstrações. Nele, o paraquedista, após saltar, comanda a abertura do seu próprio paraquedas.

Paraquedistas.9

De acordo com o Aspirante Nascimento, trabalhar com o Exército Brasileiro é uma oportunidade. “Além de poder melhor formar os nossos pilotos da aviação de transporte, ajudamos também a formar os jovens paraquedista do Exército Brasileiro. Isto faz com que o entrosamento na missão fique cada vez mais completo”, finaliza.

Assista ao vídeo de lançamento de paraquedistas a partir do C-130 Hércules:

Fonte | Fotos: cecomsaer

, , , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Dia Internacional do Peacekeeper no CCOPAB

Temporada hípica da EsEqEx

Dia do Exército – 1ª DE

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.