• RSS
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Segurança Pública

De onde vêm as armas do crime?

Por   

armas do crimePor Fabíola Perez

Pesquisa mostra que 38% do armamento apreendido em roubos e homicídios em São Paulo tem origem legal e mais da metade não pode ser rastreada. O número expressivo de armas apreendidas em roubos e homicídios no País mostra que o governo precisa apertar o cerco em torno desse mercado no Brasil.

Uma pesquisa inédita realizada pelo Instituto Sou da Paz em parceria com o Ministério Público do Estado de São Paulo constatou que 38% das armas rastreadas na capital paulista foram vendidas legalmente e depois desviadas. Isso mostra a necessidade de uma fiscalização mais intensa sobre o armamento que está sob controle da polícia e nas mãos dos cidadãos e de empresas de segurança privada.

De outro lado, o estudo revelou que é impossível detectar a origem de mais da metade das armas por conta do número do registro apagado. “Descobrir a origem é fundamental para que possamos definir estratégias que antecipem a entrada do armamento em circulação, ajudando a reduzir o número de crimes”, diz Márcio Fernando Elias Rosa, procurador-geral de Justiça do Estado de São Paulo.

ARMAS1

Segundo ele, essa falta de identificação prejudica o esclarecimento de crimes, o reconhecimento dos traficantes de material bélico e gera impunidade. “É preciso ter um diagnóstico mais preciso sobre o caminho que as armas percorrem”, acrescenta Bruno Langeani, do Instituto Sou da Paz.

O primeiro passo para um rastreamento mais qualificado por parte da polícia, segundo ele, seria a criação de outros mecanismos de marcação de armas. “Alguns países estão colocando chips nelas para ajudar no esclarecimento de crimes e identificar o trajeto que percorrem”, conta. Um mito que a pesquisa derruba é que boa parte do armamento dos criminosos é fabricada no Exterior e entra pela fronteira.

O levantamento mostrou que apenas 2% das armas apreendidas em roubos e homicídios têm origem internacional. “Os governantes costumam dizer que elas vêm de países como Paraguai, mas mais de 90% dos revólveres e pistolas analisadas são nacionais.”

FONTE : IstoÉ

, , ,

Recomendados para você

Comentários

GALERIA

Temporada hípica da EsEqEx

Dia do Exército – 1ª DE

Campeonato de salto do Exército Brasileiro

©Copyright 2017 - Comandos Editorial. Todos os direitos reservados.

É expressamente proíbida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, sendo os infratores indiciados com base na Lei nº 9.610 de 19/02/1998.

Operacional Magazine: proud to be Brazilian.