News

SAFRAN ESTÁ NA FIDAE 2024 COM SEUS PRODUTOS DE PONTA

Embraer e FAB iniciam estudos para plataformas de missões especiais

Pavilhão Brasil, coordenado pela ABIMDE, é inaugurado por autoridades na FIDAE 2024

Forças Armadas e agências federais destroem helicóptero e detêm piloto em operação contra garimpo ilegal na terra indígena Yanomami

IACIT fortalece presença entre principais marcas globais na FIDAE 2024

Operação Catrimani II: Forças Armadas empregam 800 militares em nova fase de combate ao garimpo na TI Yanomami

Marinha e Polícia Federal apreendem carga de cigarros contrabandeados no litoral do Pará

Saturday, 20 de April de 2024
Home » Força Aérea » Esquadrão Gavião adota simulador de voo para treinar voos por instrumentos

Esquadrão Gavião adota simulador de voo para treinar voos por instrumentos

Força Aérea
Por

Esquadrão Gavião adota simulador de voo para treinar voos por instrumentos

Até a próxima sexta-feira (18/09), os pilotos do Esquadrão Gavião (1º/11º GAV), sediado em Natal (RN), realizam treinamento de emergências, voos por instrumentos e gerenciamento de recursos de cabine em simulador de voo do helicóptero H-50 Esquilo. Os exercícios, realizados em um centro de treinamento que fica no Campo de Marte, em São Paulo (SP), são a base de preparação dos militares que comandarão, no futuro, helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB), como o H-36 Caracal, o H-60 Black Hawk e o AH-2 Sabre.

“É a possibilidade de o piloto reconhecer diversas reações da aeronave que não são possíveis durante um voo. Também contribui diretamente com a segurança e com conhecimento do aviador durante a realização de um procedimento de emergência”, afirma o Comandante do Gavião, Tenente-Coronel Jair Novaes de Almeida. Para o Tenente Alexandre Tani Guedes da Silva, que está finalizando o curso de especialização de Asas Rotativas, em Natal (RN), o simulador permitiu fazer um treinamento de voo em situações extremas, sem colocar em risco uma tripulação.

“Percebi o quanto é importante o piloto estar preparado para voar utilizando somente as indicações de seus instrumentos, desde a decolagem até o pouso final”, detalha. De acordo com o militar, simular as emergências críticas permite reconhecer rapidamente os sinais de uma situação de perigo no voo do helicóptero. “O treinamento no simulador contribuiu diretamente para a construção dos meus reflexos como piloto. Hoje, sinto-me melhor preparado para cumprir com a minha função a bordo de uma aeronave, bem como para integrar novas tripulações”, avalia o piloto.

FONTE: CECOMSAER

Fonte | Fotos: cecomsaer