News

Escoteiro do Rio de Janeiro é condecorado com a Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Sunday, 03 de March de 2024
Home » Força Aérea » FAB prepara seus militares para as Olimpíadas Rio 2016

FAB prepara seus militares para as Olimpíadas Rio 2016

Força Aérea
Por

Olimpiadas FAB

O Instituto de Medicina Aeroespacial (IMAE), da Força Aérea Brasileira (FAB), realizou, no dias 20, 21 e 26 de maio, no Rio de Janeiro, um treinamento em Defesa Biológica, Química, Radiológica e Nuclear (DBQRN) com aeronavegantes da Quinta Força Aérea (V FAE), unidade da FAB responsável por gerenciar todas as unidades aéreas de transporte.

“O objetivo é preparar os militares para atuarem durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, adotando medidas que minimizem ou excluam o risco de exposição a agentes DBQRN”, ressalta o Coordenador do Curso, Major Médico Dalton Muniz Santos. Os aeronavegantes vão poder agir em casos, por exemplo, de doenças transmissíveis, como o ebola; de acidentes radiológicos e também de agentes químicos, como o gás Sarin, que se espalha rapidamente pelo ambiente.

Participaram das atividades 30 militares do Esquadrão Gordo (1°/1°GT) e do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1°GTT), que operam a aeronave C-130 Hércules. Eles tiveram instruções teóricas, ministradas no IMAE, sobre fundamentos DBQRN, percepção de ameaça terrorista, abordagem de vítima, descontaminação de feridos e aeronaves, intoxicação por agentes químicos, entre outras.

Os alunos realizaram também uma parte prática do curso na Base Aérea do Galeão (BAGL), onde os instrutores do IMAE juntamente com a V FAE puderam simular um transporte aeromédico de vítima contaminada na aeronave C-130 Hércules.

“É necessário ter cuidado em todas as fases do voo desde o planejamento, o manejo com os equipamentos de monitoração durante o deslocamento e também depois da aterrissagem, quando é feita a descontaminação da tripulação e da aeronave para que possa ser empregada novamente”, conclui o coordenador.

Fonte | Fotos: cecomsaer