News

Forças Armadas e sociedade civil transportam 3,6 mil toneladas de donativos ao Rio Grande do Sul na maior campanha humanitária já registrada no país

Embraer e FAB colaboram com logística e doações para o Rio Grande do Sul

P-3AM Orion faz primeiro voo com novas asas

ABIMDE coordenou empresas brasileiras na Defence Service Asia 2024

KC-390 Millennium transporta Hospital de Campanha da FAB para Canoas

Hospital de Campanha da Marinha inicia atendimentos no RS nesta quinta-feira (9)

Exército instala Hospital de Campanha para apoio de saúde à população no Rio Grande do Sul

Thursday, 18 de July de 2024
Home » Geopolítica » Japão registra novo recorde de interceptação a aeronaves chinesas

Japão registra novo recorde de interceptação a aeronaves chinesas

Diversos
Por

Two_JASDF_F-15J_take_off_in_formation

O Japão acionou seus caças contra aeronaves invasoras chinesas em seu espaço aéreo por mais de 200 vezes no primeiro semestre do ano de 2015, informou o governo do país na ultima terça-feira (20), indicando que o número atingiu alta recorde para o período de abril-setembro. Entre abril e setembro, caças da Força Aérea de Autodefesa Japonesa (ASDF, Air Self-Defense Force) realizaram 231 decolagens de emergência em resposta a possíveis incursões territoriais por aeronaves estrangeiras, o que representa uma alta de 30% em relação ao mesmo período de 2014.

Além disso, é a primeira vez que o número superou a marca de 200 decolagens de interceptação a aeronaves chinesas num período de seis meses, de acordo com o relatório anual do Ministério da Defesa. O relatório aponta que a maioria dos casos ocorreu nas zonas do Mar da China Oriental e na zona que separa as ilhas de Okinawa e Miyako, no extremo sul do arquipélago japonês. Tóquio reforçou a vigilância das atividades aéreas do país vizinho no Mar da China Oriental perante o reacender da disputa com Pequim pela soberania das ilhas Senkaku (Diaoyu, em chinês), administradas por Tóquio.

As incursões chinesas entre a ilha de Miyako e à ilha principal de Okinawa, que são próximas ao pequeno arquipélago em disputa, têm aumentado desde que o governo japonês nacionalizou as ilhas Senkaku, em setembro de 2012. Tóquio diz que “as ilhas são território inerente do Japão e não há questão territorial a ser resolvida”, apesar das insistentes reivindicações por parte de China e Taiwan.

FONTE: Agência Kyodo

Fonte | Fotos: operacional