News

Escoteiro do Rio de Janeiro é condecorado com a Medalha Marechal Mascarenhas de Moraes

Escoteiros de Irajá participam de troca de guarda do Monumento aos Pracinhas

AECB Brasília realiza homenagem a veteranos da FEB

Militares do Comando Militar do Norte fortalecem o preparo em Operações Aeromóveis

Tropa do Exército Brasileiro se prepara para atividade internacional

Operações Interagências: saiba como é atuação da Marinha com outros órgãos

Condor apresenta tecnologias inteligentes durante a LAAD 2023 e anuncia o primeiro Instituto de Ciência e Tecnologia para não letais da América Latina

Sunday, 03 de March de 2024
Home » Marinha » NApOc “Ary Rongel” realiza comissão no Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade

NApOc “Ary Rongel” realiza comissão no Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade

Marinha
Por

NApOc ''Ary Rongel'' realizando apoio logístico à Ilha da Trindade

O Navio de Apoio Oceanográfico (NApOc) “Ary Rongel” realizou a Comissão “POIT III” (Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade) e “PROTRINDADE” (Programa de Pesquisas Científicas da Ilha da Trindade), no período de 21 de maio a 1º de junho. A comissão faz parte do apoio logístico prestado pela Marinha do Brasil ao POIT bem como ao PROTRINDADE.

O POIT é um destacamento subordinado ao Comando do 1º Distrito Naval (Com1ºDN) mantido pela Marinha desde 1957, na Ilha da Trindade, localizada a aproximadamente 600 milhas náuticas, cerca de 1.115 km, de Vitória (ES). O apoio logístico prestado pelo Com1ºDN é realizado a cada dois meses.

São transportados à Ilha gêneros alimentícios e materiais diversos, necessários à subsistência da guarnição e à manutenção das atividades desenvolvidas. O PROTRINDADE foi criado em 2007, com o objetivo de sistematizar a ida de pesquisadores à Ilha, e é coordenado pela Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar.

A soberania brasileira sobre a Ilha da Trindade é garantida pela presença dos militares da Marinha do Brasil e de pesquisadores que ocupam a ilha permanentemente, assegurando ao País o direito de explorar os recursos existentes em uma área marítima chamada “Zona Econômica Exclusiva”, cuja extensão é de 200 milhas náuticas ao redor dessa posição longínqua do território, constituindo-se em parcela expressiva de nossa “Amazônia Azul”.

Fonte | Fotos: ccsm